Moda / Tendências

A marca de joalharia do Porto que já conquistou as italianas

Fundada por dois irmãos oriundos de uma família de ourives, a Mesh Jewellery cativa pela simplicidade das suas peças. Está à venda no Porto, e agora também em Milão.

A carregar o vídeo ...
12 de agosto de 2021 | Rita Silva Avelar

A Mesh Jewellery nasceu em 2016, mas as suas raízes começaram nos anos 50, quando o avô dos fundadores, José Martins Barbosa, começou a fabricar máquinas e ferramentas inovadoras para a indústria da joalharia. Os irmãos Tiago e João são a terceira geração da família (que se tornou uma família de ourives) e viram no negócio uma oportunidade para modernizar e diversificar a oferta que existia neste segmento. Baseados no Porto (o negócio da família é em Gondomar), abriram já duas lojas na cidade.

As joias da Mesh.
As joias da Mesh. Foto: @mesh_jewellery

"Quando comecei a trabalhar com o meu pai, fazíamos um certo tipo de joias que não era muito do meu agrado, era mais para as 'massas', e entretanto começámos a fazer algumas peças mais modernas. Não havia aceitação dos clientes, mas por outro lado eu sabia que era aquilo que queria fazer no futuro", começa por contar Tiago, um dos irmãos fundadores. "A primeira loja da Mesh que abrimos nos Aliados foi um pouco disruptiva, não só no Porto, como a nível nacional," afirma. "A nossa geração estava afastada do hábito de ir à joalharia," acrescenta João, que acreditou no potencial de quebrar com a estética da ourivesaria tradicional portuguesa. "Quisemos uma estética mais jovem, mais apelativa, e a verdade é que nas nossas lojas tanto entra uma senhora com 80 anos como raparigas de 15 anos que jamais entrariam numa ourivesaria," afirma Tiago. As montras são minimalistas, os mostradores são discretos e contêm poucas joias, para que cada peça tenha espaço para brilhar e cativar.

As joias da Mesh.
As joias da Mesh. Foto: @mesh_jewellery
As joias da Mesh.
As joias da Mesh. Foto: @mesh_jewellery
Leia também

A Mesh caracteriza-se pelas linhas inspiradas na Natureza, no estilos boho chic e étnico, e nas formas geométricas. As peças, em materiais como a prata esterlina ou banhadas a ouro, vão de correntes a fios, passando por pulseiras, anéis ou brincos, adornados com pormenores distintos como pedras preciosas, como turquesas ou esmeraldas. Além de serem produzidas em Gondomar, berço da ourivesaria nacional, as peças são desenhadas em exclusivo pela marca. "Do storytelling ao design, à produção das peças, é tudo feito por nós," explica João. "Temos lá as nossas oficinas, colaboramos com artesãos locais. Conhecemos todas as pessoas que trabalham para nós, e conseguimos aliar a parte tradicional e a parte tecnológica. É possível fazer uma peça com uma máquina 3D e depois fazer o acabamento com processos manuais. Conseguimos aliar os dois mundos" explica João. 

As joias da Mesh.
As joias da Mesh. Foto: @mesh_jewellery
Quanto ao nome, João desmistifica: "queria ter um nome que pudesse ser dito em várias línguas, e faz uma alusão a um tipo de malha que usamos, é a malha mesh. A sua composição são vários fios que se juntam e se unem, o que também representa o que fizemos com a marca." A verdade é que a Mesh chegou recentemente a Milão, ficando permanentemente à venda no centro comercial italiano Rinascente, depois de ter lá estado em formato pop up. Está disponível em lojas físicas, no Porto, e no site.
Leia também
Saiba mais Joias, Joalharia, Invicta, Porto, Mesh Jewellery, José Martins Barbosa, Tiago, João, Gondomar, Largo de São Domingos
Mais Lidas