Fitness & Nutrição

Nutrição: “O Ayurveda é para todos”

Depois dos benefícios do ayurveda e de como integrá-los na nossa rotina de beleza, mostramos-lhe como fazê-lo na alimentação. Estivemos à conversa com profissionais para perceber melhor do que se trata.
Por Joana Maia Rodrigues, 25.05.2018

Considerado o pai de todas as medicinas, o ayurveda pode caracterizar-se de três formas. Trata-se, assim, de um sistema ancestral e tradicional de medicina indiano, de uma medicina natural e de um sistema holístico de manutenção da saúde. Segundo o Prof. Dr. Gunvant Yeola, diretor da Academia Internacional de Ayurveda, situada em Pune, Índia, "o ayurveda sugere como viver uma vida longa, saudável e feliz". Esta medicina tradicional não defende a cura, mas sim a manutenção da saúde, de forma a que a doença não chegue a instalar-se no nosso organismo. As terapias usadas têm como função reforçar o sistema imunitário, reduzir a inflamação, desintoxicar o corpo, otimizar o metabolismo, regular os radicais ativos e equilibrar o sistema regulador.

"Além de nutrir o corpo, é necessário nutrir a mente", afirma o Prof. Yeola. "É importante que o nosso corpo e mente estejam em harmonia com o nosso estilo de vida, com o local onde vivemos, a natureza, clima, tudo o que nos rodeia." E é precisamente o nosso estilo de vida, sempre em passo acelerado e com pouco tempo para tudo, que nos deixa mais debilitados. Sofremos de "lifestyle western disorder (distúrbio de estilo de vida ocidental) ", brinca o Professor, e é este distúrbio que contribui para a procura crescente do ayurveda pelo mundo. Em Portugal, a procura do ayurveda triplicou nos últimos quatro anos, garante Joaquim Jorge, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Ayurveda. Esta procura é motivada não apenas pelas falhas da medicina convencional mas também pela curiosidade no que diz respeito à abordagem holística e também para fugir aos tais "lifestyle disorders". Apesar da crença neste sistema de manutenção de saúde tradicional, Joaquim Jorge acredita "numa medicina integrativa, onde médicos e naturopatas possam conviver juntos". O Dr. Yeola completa com a teoria da espada e do escudo, onde o escudo é a medicina ayurvédica e a espada a medicina convencional.

O papel da nutrição na cultura ayurvédica e vice-versa

Especialista em nutrição ayurvédica, Sujata Yeola afirma que "é necessário conhecer a estrutura de cada pessoa e aí aconselhar a dieta". Um alimento pode ser saudável para um, mas ser nocivo para outro, tudo depende do biótipo de cada um. Contudo, existem guias comuns que potenciam a nossa saúde.

O tempo é um fator fundamental. Não deve apenas demorar a mastigar, como deve comer a horas. A melhor hora para almoçar é das 12h às 14h, hora do phita (hora do fogo). Os médicos ayurvédicos acreditam que dentro de nós existe o fogo digestivo responsável pela nossa digestão é ele que diz quando e como vamos ingerir a nossa comida. Logo, se é hora do fogo, o nosso fogo digestivo está forte, conduzindo a uma boa digestão. Comer apenas quando se tem fome também é uma das regras. A fome é o sinal do corpo para quando necessitamos de alimento. Quando comemos sem que haja esse estímulo, a comida não é digerida, armazenando-se e criando uma toxina nociva que afeta os tecidos provocando doenças.

Outra regra obrigatória da nutrição ayurveda é consumir sempre comida fresca, tendo em conta a sua qualidade e natureza. Assim como ter em conta a estação do ano em que nos encontramos, privilegiando os alimentos da época. Nas estações quentes, é aconselhado a ingestão de alimentos frios e leves e beber mais líquidos. Nesta época do ano, o nosso fogo digestivo está mais apagado, logo a digestão está dificultada. Nas estações frias, é o contrário. Cozinhar a comida e comê-la no mesmo dia também é frisado pela médica indiana.

Um dos conceitos ayurvédicos assenta no papel fundamental da mente na nossa saúde e bem-estar. O tipo de alimentação de cada um deve também ser avaliado tendo em conta a sua personalidade. Por essa razão, a especialista em nutrição ayurvédica reforça a importância de se ter em atenção a mente no momento da refeição: quanto melhor esta estiver, mais saciados vamos ficar. Também devemos concentrar-nos nos alimentos e tomar o nosso tempo para ingeri-los.   

A médica indiana deixou-nos algumas dicas que podem fazer a diferença no dia-a-dia.

- O uso de especiarias traz uma lista infindável de pontos positivos. Usados diariamente, melhoram a digestão, tornando-a mais leve. Isto acontece porque as especiarias potenciam a estrutura dos alimentos, duplicando os seus benefícios. Aconselha-se o uso de pimenta-preta ou cominhos na sopa e cardamomo, noz-moscada e canela nas sobremesas. Podemos também usar cominhos, coentros, açafrão, cravo e assa fétida;

- Beber todos os dias em jejum meio copo de água morna com meia colher de chá de mel e meia colher de chá de sumo de limão. Além de ajudar na digestão, combate a obesidade. Contudo, é importante lembrar que nunca devemos aquecer o mel. A mais de 35 ºC, o mel perde as suas propriedades e a altas temperaturas torna-se tóxico;

- Quando comemos grãos devemos tostá-los ligeiramente numa frigideira antes de cozinhá-los. Desta forma, as suas propriedades são potenciadas e os grãos tornam-se mais fáceis de digerir.

- É proibido juntar leite com peixe, rábano e frutas ácidas, assim como iogurte com frutas ácidas. Estas junções são tóxicas para o nosso organismo.    

- A médica sugeriu ainda uma lista de cinco ingredientes que considera ser fundamentais na dieta ayurveda. São eles os espargos, a romã, o açafrão, a amalaki (groselha indiana) e ashwagandha (ginseng indiano).

Perguntámos ainda aos três profissionais ayurvedas qual o maior conselho que poderiam dar a alguém que gostaria de adotar o estilo de vida ayurvédico. Gunvant aconselha comer-se os frutos da época e conhecer melhor a automassagem com óleo, uma das técnicas fundamentais da medicina tradicional. Já Sujata pede para que respeitemos o sistema digestivo: comer apenas quando temos fome. Por último, Joaquim Jorge aconselha a que se viva de acordo com o dia solar e que respeitemos as estações do ano, a comida da época. Cumprir o nosso biorritmo é meio caminho andado para uma vida saudável.
Tags: ayurveda nutrição nutrição ayurvédica medicina ayurveda médico
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
1 Comentários
Lara Lima Máxima e Ayurveda em cuidados Preventivos e Restaurativos quando preciso! Informações de valor como portas para o conhecimento que futuramente resultam na sabedoria do bem viver de dentro para fora, Renascido.
Parabéns à maxima.pt pelo artigo de valor - Lara Lima?
23.07.2018
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!