Comportamento

“As novas gerações estão a marcar a mudança”

Falámos com Sofia Catarino, uma das fundadoras da marca e eco-shop Pegada Verde, que comemora agora o seu 10º aniversário. Um verdadeiro universo dedicado à sustentabilidade, esta loja é uma montra virtual de produtos ecológicos.
Por Carolina Silva, 11.10.2019

A Pegada Verde é uma marca portuguesa que tem como principal objetivo tornar os hábitos de reutilização num estilo de vida. Baseada em três conceitos – green, trendy & fun – a marca foi criada em 2009 por dois jovens empreendedores portugueses, Sofia e Sérgio, que aspiravam a contribuir para um mundo mais sustentável através de pequenos gestos. Hoje em dia, esta marca, que funciona com uma eco-shop, apresenta uma vasta gama de produtos eco friendly, com oferta de produtos como copos, garrafas e marmitas até aos muitos produtos de cosmética e saúde - existindo ainda uma enorme e irresistível secção de artigos dedicados às crianças. A seleção proposta pela marca portuguesa visa a reutilização de todos os produtos que - além de serem livres de substâncias tóxicas - não são testados em animais. Conversámos com Sofia Catarino, uma das sócias fundadoras, a propósito do 10º aniversário da marca.

Como surgiu a ideia de criar a eco-shop Pegada Verde?

12 anos eu e o Sérgio [Miranda, fundador] vivemos durante um ano em Nova Iorque e, durante esse tempo, todos os dias saíamos à rua e encontrávamos uma muralha de lixo à porta de casa. A quantidade de desperdício criado diariamente era impressionante e, quando voltámos a Portugal, vínhamos com o bichinho da sustentabilidade ainda mais aguçado. A ideia de criar uma marca ligada à ecologia surge em 2009, enquanto estávamos entre amigos a ler uma revista que falava de uma jornalista canadiana, a Vanessa Farquharson. O artigo falava sobre o seu blog – Green as a Thistle – e sobre o livro que havia publicado há pouco tempo em Portugal, intitulado Dormir Nu é Ecológico – em que, durante um ano, foi introduzindo diariamente uma nova medida ecológica na sua vida. Compreendemos que podíamos fazer muito mais no nosso dia-a-dia e que, com pequenos gestos, podíamos fazer efetivamente a diferença. E é exatamente aí que surge a Pegada Verde, criada em outubro de 2009, com o principal objetivo de tornar os hábitos de reutilização num estilo de vida, contribuindo para um mundo melhor e mais sustentável através de pequenos gestos.

Começaram este projeto há dez anos, quando a consciencialização sobre a ecologia ainda não estava presente de norte a sul do país. Quão difícil foi implementar este projeto, e como tem sido todo este processo?

Celebramos agora em outubro o nosso 10º aniversário e gostamos de pensar que fomos pioneiros nesta área. Em 2009, não se falava de sustentabilidade como se fala hoje em dia – só o Al Gore e o seu documentário Uma Verdade Inconveniente é que desbravavam este caminho! Acredito que trouxemos muitas coisas positivas neste âmbito, sempre com o objetivo de querer tornar a sustentabilidade numa tendência e a reutilização num hábito diário. Julgo que a comunidade que nos segue confia nas nossas escolhas e é isso que queremos continuar a fazer: dar a conhecer, partilhar o mais que podemos e permitir que os nossos seguidores façam as suas escolhas de mudança em consciência. Foi uma década cheia de desafios, mas sempre muito gratificante.

Assistiram a algumas diferenças nos últimos dez anos, ou consideram que ainda há um longo caminho a percorrer?

Notam-se muitas diferenças, essencialmente porque agora já não são apenas os ambientalistas a falar publicamente sobre questões relacionadas com sustentabilidade e preocupação ambiental. De alguma forma tornou-se numa moda, o que é muito positivo – as modas levam à ação e é exatamente disso que o planeta precisa. Sempre acreditámos que cada um de nós pode fazer a sua parte. Pequenas mudanças nos hábitos diários, quando multiplicadas por muitas pessoas, fazem uma grande diferença! Ainda há um longo a caminho a percorrer, principalmente pelos inúmeros excessos dos últimos 50 anos. O que fazemos agora vai ter impacto no futuro, mas não nos podemos esquecer que também temos de tentar compensar o que de errado já foi feito no passado.

O facto de as novas gerações (millenialls, geraçãoZ) serem mais eco-responsáveis ajuda na implementação de produtos ecológicos?

Ajuda imenso, porque são gerações sem medo de defender aquilo em que acreditam e que são muito fiéis aos seus valores. No fundo eles estão a marcar a mudança, para que a partir de agora se volte a ter o ambiente como algo prioritário. Todos temos obrigatoriamente de proteger o planeta e cada um de nós tem de ter consciência dessa responsabilidade. Sem medos ou angústias, a sustentabilidade não tem de ser vivida de forma dramática, mas sim responsável.

O que é que consideram importante ter em mente na hora de comprar?

Consciência, informação e liberdade de escolher. Fazer mais vezes as perguntas "Preciso? Vou usar? Tem qualidade?"

Tags: sofia catarino pegada verde eco-shopl produtos ecológicos 10 anos sustentabilidade
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!