Comportamento

Aprenda a dizer ‘não’ com mais frequência

Com três letras apenas se escreve a palavra não. É preciso coragem, mas delinear limites não só é necessário, como verdadeiramente libertador.
Por Pureza Fleming, 10.04.2018

Nunca antes se viveu uma época tão cheia de coisas para fazer. São as obrigações no trabalho e as exigências, tantas vezes irrisórias, que tentamos cumprir a todo o custo (o nosso); um sem-número de combinações com conhecidos que não chegam sequer a ser amigos; as burocracias da família que ninguém trata acabando por sobrar para a única pessoa que não disse que não: você. Com o frenesim a que a vida moderna nos habituou, torna-se urgente, e já não só necessário, que aprenda a dizer não. Por si, pela sua vida e pela sua rica saúde.

Num artigo publicado no The Huffington Post, a terapeuta especializada em saúde mental Jennifer Rollin explica, em três passos, como definir limites saudáveis.

1. Treine a sintonia com o seu sentido interior de ‘sim’ e ‘não’

O primeiro passo para aprender a estabelecer limites é tentar entender quais são os seus limites e diretrizes pessoais. Numa brilhante palestra da TEDx, Sarri Gilman, psicoterapeuta e autor de Transform Your Boundaries, explica que podemos pensar nos nossos limites através da metáfora de uma bússola interna. Gilman diz que esta bússola tem duas palavras escritas: ‘sim’ e ‘não’.

Todos nós temos um sensor interior de sabedoria, que intuitivamente nos diz quando algo é um ‘sim’ ou um ‘não’. O problema surge quando ignoramos ou discutimos com essa voz interior. Se não está acostumada a sintonizar a sua intuição, é importante que pratique esta tomada de atenção àquilo que está a sentir no momento. Usar ferramentas como meditação e mindfulness é uma forma de praticar a atenção aos pensamentos e sentimentos no momento.

2. Aprenda a tolerar as reações dos outros

Gilman diz: "Quando ouve o seu próprio ‘sim’ e ‘não’, as outras pessoas podem ficar com raiva ou desapontadas. O cenário limite desencadeará emoções." A realidade é que quando se estabelecem limites com as pessoas, elas nem sempre têm uma reação agradável. No entanto, ainda pode trabalhar de forma a manter firmes os limites que traçou.

Estabelecer limites com as pessoas pode realmente ajudar a melhorar os seus relacionamentos a longo prazo. Se não respeitar os seus limites pessoais (talvez com medo da reação dos outros), é provável que isso leve a sentimentos como amargura e ressentimento ao longo do tempo. As pessoas com as quais se quer rodear são aquelas que respeitarão os seus limites, mesmo que, inicialmente, se sintam chateadas ou desapontadas.

3. Reserve momentos de autocuidado

Se quer ser compassivo em relação aos outros, é fundamental que aplique a mesma compaixão a si mesmo.

Reserve algum tempo semanal para gestos de autocuidado, que podem ajudá-la a relaxar, recarregar e conectar-se a si mesma. Todos temos coisas diferentes que nos fazem sentir bem e relaxados, então escolha o que funciona melhor para si. Algumas ideias de self-care incluem cozinhar uma boa refeição, tomar um banho de espuma, acender velas, ler um livro apenas por diversão, passear, fazer aulas de yoga, fazer manicure ou passar tempo com os seus animais de estimação.

Em última análise, merece tratar-se com a mesma bondade e compaixão que entrega aos outros.

A importância de se estabelecer limites

Estabelecer limites pode ser difícil, mas é a parte essencial para que se construam relacionamentos saudáveis ??e uma sensação geral de bem-estar. É útil lembrar que quando está a dizer ‘não’ às coisas, automaticamente liberta o seu tempo para se concentrar nas atividades que realmente a energizam e estimulam. Ter bons limites também permite que sinta menos stress e siga a paixão e o propósito da sua vida.

Em última análise, merece tratar-se com a mesma bondade e compaixão que entrega aos outros.

A importância de se estabelecer limites

Estabelecer limites pode ser difícil, mas é parte essencial para que se construam relacionamentos saudáveis ??e uma sensação geral de bem-estar. É útil lembrar que quando está a dizer "não" às coisas, ele automaticamente liberta o seu tempo para se concentrar nas atividades que realmente a energizam e estimulam. Ter bons limites também permite que sinta menos stress e siga a paixão e o propósito da sua vida.

Tags: tedx sarri gilman comportamento saúde psicologia não
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!