Mundo

Reino Unido diz “não” às campanhas que perpetuam estereótipos de género

Os anúncios com homens sentados no sofá e mulheres a limpar a casa vão deixar de existir.
Por Vera Vaz, 19.07.2017

A medida foi apresentada pela entidade reguladora da publicidade britânica (ASA) e tem como objetivo combater a forma sexista como as mulheres são representadas nos anúncios publicitários e dar mais um passo para o fim dos estereótipos de género.

"Os anúncios são um dos fatores que mais contribuem para a desigualdade de género", afirmou Guy Parker, da ASA, à BBC, esperando que desta forma existam regras mais duras para as campanhas.

Outdoors com figuras femininas a limpar a casa enquanto os homens estão sentados no sofá ou jovens em imagens que promovem "corpos ideais" impossíveis vão deixar de ser vistos nas ruas para assim garantir uma sociedade moderna e igual.

Ainda recentemente, uma campanha da marca Tom Ford para o perfume Black Orchid, protagonizada pela modelo Cara Delevingne, foi fortemente criticada, chegando a ser proibida junto de escolas. Já a marca norte-americana GAP foi alvo de críticas depois de publicar uma campanha publicitária com duas crianças: enquanto o rapaz estuda compenetrado, a rapariga está mais preocupada com a roupa que vai vestir.

 

Tags: campanhas publicidade estereótipos
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!