Mundo

Os filmes mais sexy de todos os tempos

Porque poucas coisas são tão excitantes como uma história sedutora.
Por Aline Fernandez, 25.10.2018

O Amor É um Lugar Estranho (2003)

O ator de meia-idade Bob Harris (Bill Murray) e a jovem recém-casada Charlotte (Scarlett Johansson) são dois americanos em Tóquio à procura de si próprios. O segundo filme de Sofia Coppola, que também assina o argumento, acompanha a relação que se estabelece entre as personagens de Murray e Johansson, um encontro improvável e cheio de pequenos detalhes, capazes de se sobrepor às palavras. A banda sonora, como em todos os filmes de Coppola, é perfeita e o momento em que Murray sussurra ao ouvido de Johansson continua a ser um dos mais sexy (e românticos) do cinema.

Chama-me Pelo Teu Nome (2017)

O jovem Elio (Timothée Chalamet) passa todos os verões em Itália com a família, mas tudo muda com a chegada de Oliver (Armie Hammer), um estudante que vem ajudar o pai de Elio a fazer pesquisa. O que se segue é a autodescoberta de um primeiro amor, numa sucessão de cenas cruas que evidenciam a química de Chalamet e Hammer. Mal podemos esperar pela parte dois do filme, baseado no livro com o mesmo nome, que já foi confirmada pelo realizador, Luca Guadagnino.

Vicky Cristina Barcelona (2008)

É difícil não ter vontade de planear umas férias em Espanha depois de seguir a bem-humorada história de Vicky (Rebecca Hall) e Cristina (Scarlett Johansson – de novo!) pelo país vizinho. Entre as cenas mais emblemáticas do filme, está o momento em que a desequilibrada Maria Elena (Penélope Cruz) seduz Cristina, namorada do seu ex-marido Juan Antonio (Javier Bardem).  

Vergonha (2011)

Brandon (Michael Fassbender) é um homem bem-sucedido e solitário, que concentra boa parte da sua existência na busca pelo prazer sexual. A sua rotina muda com a chegada da irmã Sissy (Carey Mulligan). Este é um dos filmes que confirmou Fassbender como um dos novos sex symbols de Hollywood e são várias as cenas que o justificam.

De Olhos Bem Fechados (1999)

Nicole Kidman e Tom Cruise ainda estavam casados na vida real, o que só adiciona uma camada extra de sex appeal ao último filme completo de Stanley Kubrick. Contudo, não espere um enredo sobre sexo e cenas explícitas com o casal queridinho de Hollywood daquela época. Kubrick criou uma narrativa em volta dos sonhos não realizados, da frieza na cama e da interdição do prazer erótico. E sem esquecer as cenas das reuniões secretas que apimentariam qualquer filme.

Sexo, Mentiras e Vídeo (1989)

John Mullany (Peter Gallagher) mantém um caso com a cunhada, Cynthia (Laura San Giacomo), mas a chegada do seu amigo Graham Dalton (James Spader), que grava um vídeo com depoimentos de mulheres sobre as suas vidas sexuais, muda tudo. O filme está cheio de conversas francas sobre sexo, o que é fascinante e excitante de uma maneira muito própria.

Os Bons Amantes (1986)

O clássico de 1986 de Spike Lee mostra que não há nada mais sexy do que a autonomia feminina. O guião segue Nola Darling (Tracy Camilla Johns), uma jovem de Brooklyn que namora três homens: Jamie Overstreet (Tommy Redmond Hicks), protetor, educado e sempre bem-intencionado; Greer Childs (John Canada Terrell), vaidoso, rico e arrogante; e Mars Blackmon (o próprio Spike Lee), um cómico e imaturo estafeta de escritório. Nenhum é capaz de satisfazê-la inteiramente e ela não consegue decidir com qual ficar... O filme, que se tornou de culto, deu origem à série na Netflix com o mesmo nome.

A Vida de Adèle (2013)

Em 2013, o filme chamou a atenção do público e da crítica pela forma sincera como filmou as nuances da sexualidade feminina. Seguimos com intensidade a relação de uma adolescente francesa que enfrenta os desafios da chegada da maturidade. Adèle (Adèle Exarchopoulos) quer ser artista e quando se cruza com Emma (Léa Seydoux com o seu incrível cabelo azul) começa a ver o mundo de outra forma.

Perto Demais (2004)

Este filme é a adaptação da peça teatral homónima de Patrick Marber sobre os encontros e desencontros de dois casais em Londres. Dan Woolf (Jude Law), jornalista aspirante a escritor, apaixona-se por Alice Ayres (Natalie Portman), uma misteriosa stripper. Quando Dan conhece a fotógrafa Anna Cameron (Julia Roberts), que entretanto se casa com Larry Gray (Clive Owen), um dermatologista viciado em sexo, inicia-se uma poderosa reflexão sobre as complicações do amor e do sexo. Segue-se uma espiral de manipulação, reencontros e desenlaces entre as quatro personagens, sempre com Londres como cenário.

E a Tua Mãe Também (2001)

Esta é, sem dúvida, a road trip mais sexy do cinema. Julio Zapata (Gael García Bernal) e Tenoch Iturbide (Diego Luna) são dois adolescentes que se juntam a Luisa Cortés (Maribel Verdú), uma mulher mais velha, para embarcar numa jornada de crescimento e autodescoberta. Numa viagem de carro pelo México, a relação entre os três torna-se cada vez mais intensa – em todos os sentidos.

As Cinquenta Sombras de Grey e as suas sequelas (2015, 2017 e 2018)

A tímida estudante de literatura Anastasia Steele (Dakota Johnson) mergulha de cabeça na nova relação com o milionário Christian Grey (Jamie Dornan) e descobre os prazeres do sadomasoquismo. O beijo que Anastasia e Christian dão no elevador logo no primeiro filme, realizado por Sam Taylor-Wood, tornou-se uma das cenas mais emblemáticas da trilogia baseada nos livros de E.L. James.

A Secretária (2002)

Antes do lançamento de Cinquenta Sombras, já havia um Grey na história do sadomasoquismo. Lee Holloway (Maggie Gyllenhaal) é uma jovem com um histórico de problemas emocionais, que arranja emprego como secretária do exigente advogado Edward Grey (James Spader), acabando por iniciar uma relação com o mesmo. O filme oferece uma visão mais profunda das relações de dominação e submissão com todos os seus contornos emocionais e físicos. A Secretária é uma história de amor que foge às convenções e ainda bem.

Ligações Perigosas (1988)

Na corte real francesa do século XVIII, a marquesa de Merteuil (Glenn Close) e o visconde de Valmont (John Malkovich) usam as mais sofisticadas e cruéis artimanhas para conseguirem o que querem. Michelle Pfeiffer e Uma Thurman também fazem parte da história, baseada no clássico da literatura francesa Les liaisons dangereuses, de Pierre Choderlos de Laclos. E já se sabe que um clássico francês tem sempre uma boa dose de sedução.

Os Sonhadores (2003)

Em 1968, o estudante americano Matthew (Michael Pitt) entra no estranho mundo dos irmãos Theo (Louis Garrel) e Isabelle (Eva Green), em Paris. A relação rapidamente transforma-se num complicado triângulo amoroso onde não faltam cenas de sedução e a já icónica corrida a três pelo Louvre. Antes de ver o filme, saiba que existem duas versões do mesmo, uma delas três minutos mais curta.

Magic Mike (2012)

Homens sem camisola, corpos esculturais e Channing Tatum são uma receita que dificilmente poderia correr mal. Ainda assim, haveria o risco de tudo se tornar um pouco excessivo. Contudo, o filme, que se concentra na vida do experiente stripper masculino Mike (Tatum), olha para lá das evidências da profissão. Destaque ainda para as cenas de dança e para o guião que nos faz olhar além da objetificação das mulheres.

Mr. & Mrs. Smith (2005)

O filme que uniu Brad Pitt e Angelina Jolie é também aquele que capta a sua química antes de tudo acontecer oficialmente. Os dois são assassinos contratados por empresas rivais, que se enganam todos os dias para conseguir manter as suas identidades secretas. A verdade vem ao de cima quando John (Pitt) e Jane (Jolie) recebem a missão de eliminar o mesmo alvo. A cena de sexo que envolve literalmente a destruição da sua casa é uma das melhores do filme.

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!