Exposições

Novas coordenadas: as exposições que sugerimos para setembro

Dos painéis de Almada Negreiros em Lisboa, passando por Bacon e Gormley, duas referências da arte contemporânea, e terminando numa série de eventos que celebram o centenário da Bauhaus, estas são as exposições que destacamos na rentrée.
Por Carolina Carvalho, 08.09.2019

O espaço

As Gares Marítimas de Alcântara e da Rocha do Conde de Óbidos, na capital, irão estar abertas ao público no último fim de semana de cada mês. As visitas gratuitas promovidas pelo Porto de Lisboa permitem apreciar os murais de Almada Negreiros que decoram ambas as gares e que raramente são vistos pelo público. Num total de 14 painéis da década de 1940 (dois trípticos e duas composições isoladas na Gare Marítima de Alcântara e seis painéis na Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos), refletem cenas marítimas e ribeirinhas, bem como a admiração do artista pelo Tejo.

Painéis de Almada Negreiros

Onde? Gares Marítimas de Alcântara e da Rocha do Conde de Óbidos, Lisboa

Quando? No último fim de semana de cada mês

 

A literatura

O Centre Pompidou, em Paris, presta homenagem a Francis Bacon com uma retrospetiva entre 11 de setembro e 20 de janeiro de 2020. Francis Bacon: Books and Painting conta com 60 pinturas criadas entre 1971 (ano em que foi alvo de uma grande e marcante retrospetiva no Grand Palais) e 1992 (ano da sua morte) e explora a influência da literatura na obra do artista. Um inventário da sua biblioteca resultou em mais de mil obras. Foi na literatura que encontrou inspiração e autores com quem se identificava num conceito de arte livre de idealismo. Bacon nasceu na Irlanda, em 1909, no seio de uma família inglesa. O pai expulsou-o de casa por ser homossexual, tendo vivido a maior parte da vida em Londres, cidade onde ganhou relevância na cena artística no pós-II Guerra Mundial e onde a homossexualidade era proibida nessa época. Há quem o considere o sucessor de Picasso, artista que muito o influenciou.

Francis Bacon: Books and Painting

Onde? Centre Pompidou, em Paris

Quando? De 11 de setembro e 20 de janeiro de 2020

O corpo

Sir Antony Gormley (Londres, 1950) é um dos escultores mais reconhecidos do Reino Unido e do panorama artístico contemporâneo. A Royal Academy of Arts, em Londres, celebra os seus 45 anos de carreira com uma exposição homónima que ocupará as galerias principais num total de 13 salas. De um vasto leque de criações, destacam-se diversas obras que representam o corpo humano e em que Gormley é o seu próprio modelo. Esta mostra foca-se no uso que o artista faz de materiais orgânicos, industriais e elementares (como o ferro, o aço, o chumbo, a água do mar e a argila) e vai contar com obras das décadas de 1970 e de 1980 raramente vistas, assim como desenhos do seu diário gráfico de bolso e instalações novas de grandes dimensões. Tudo isto faz com esta seja uma exposição imersiva e por isso o museu faz um aviso a quem seja sensível a sítios fechados e alerta para o facto de algumas obras terem água, extremidades afiadas e materiais que possam ser transferidos para a roupa. De 21 de setembro a 3 de dezembro.

Antony Gormley

Onde? Royal Academy of Arts, em Londres

Quando? De 21 de setembro a 3 de dezembro

 

A escola

Na Alemanha do pós-I Guerra Mundial nasceu uma escola de artes que, embora tenha durado apenas 14 anos, viria a ser marcante na história da arte do século XX. Chamaram-lhe Bauhaus (que significa casa para construção) e o seu fundador e primeiro diretor foi o arquiteto Walter Gropius. O projeto apostava num método de trabalho em equipa e na interação teoria/prática em que as artes plásticas conviviam, lado a lado, com as artes decorativas, a música, o teatro e a arquitetura. A Bauhaus teve o seu início na cidade de Weimar, em 1919, conheceu o seu esplendor em Dessau, entre 1925 e 1931, e encerrou em 1933, em Berlim. Pelo corpo docente passaram nomes de grande relevância como Wassily Kandinsky, Paul Klee, Marcel Breuer ou Mies van der Rohe (último diretor da escola). O centenário da sua fundação foi celebrado ao longo de todo o ano nas diferentes cidades por onde o projeto passou. Neste mês de setembro coincidem três importantes exposições.

- Abertura da exposição Original Bauhaus (the centenary exhibition), organizada pelo Bauhaus Archiv, em Berlim, em parceria com a Berlinische Galerie (Museu de Arte Moderna de Berlim), onde terá lugar, entre 6 de setembro deste ano e 27 de janeiro de 2019. Esta mostra contará com cerca de mil peças originais da Bauhaus vindas do arquivo da escola ou de coleções privadas que recontam um legado de 100 anos, assim como irá contar 14 histórias que se desenvolvem a partir de 14 objetos-chave.  

- Abertura do Bauhaus Museum Dessau, a 8 de setembro, que vai ser a casa da coleção da fundação da escola daquela cidade.

- Última oportunidade para visitar a exposição Women at the Bauhaus, no Museu Bauhaus-Archiv, em Berlim, que retrata cerca de 60 mulheres que fizeram parte da história desta instituição. Termina a 30 de setembro.

E ainda…

A propósito do centenário da Bauhaus, o Museu Thyssen, em Madrid, organiza uma pequena exposição com obras de artistas ligados à escola alemãe produzidas durante o seu tempo de atividade, provenientes da coleção permanente do museu. La Bauhaus en las colecciones Thyssen abre ao público no dia 28 do próximo mês de outubro. No site Bauhaus100.com está toda a informação relativa às celebrações deste centenário.

La Bauhaus en las colecciones Thyssen

Onde? Museu Thyssen-Bornemisza, em Madrid

Quando? De 28 de outubro a 12 de janeiro de 2020

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!