Mundo

Medicamentos para o estômago podem causar cancro

Os investigadores pedem aos médicos que sejam cautelosos na prescrição destes fármacos.
Por Marta Carvalho, 03.11.2017
Um estudo conduzido pela Universidade de Hong Kong e pela University College de Londres concluiu que a utilização prolongada de medicamentos para tratar o refluxo aumenta o risco de cancro do estômago. Os Inibidores de Bomba de Protões (IBP) servem para reduzir o ácido produzido pelo estômago e podem criar um risco 2,4 vezes maior de desenvolver cancro quando tomados durante períodos prolongados. Neste grupo de IBP encontram-se todos os medicamentos que contêm omeprazol, lansoprazol, pantoprazol, rabeprazol, dexlansoprazol e esomeprazol.
 
Os investigadores compararam o uso de inibidores a outras drogas que limitam a produção de ácido no estômago, como é o caso dos anti-histamínicos H2, mas enquanto a toma dos últimos não está relacionada com o cancro do estômago, no caso dos inibidores da bomba de protões o risco é 2,4 vezes maior.
 
A frequência com que estes são tomados também está diretamente relacionada com o risco de cancro do estômago: quem toma os inibidores diariamente tem um risco 4,55 vezes maior de desenvolver cancro do que quem os toma semanalmente. Quando estes são tomados por mais de um ano, o risco aumenta 5 vezes; se se prolongar por três anos ou mais, o risco é 8 vezes maior.
 
Os investigadores pedem, portanto, que os médicos tomem precaução na prescrição de inibidores da bomba de protões por longos períodos de tempo.
 
 
 
Tags: inibidores de bomba de protões university college de londres universidade de hong kong
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!