Mundo

Guia essencial de Marvila

É o berço de um novo fôlego criativo de Lisboa e o El País incluiu-o na lista de locais renovados de passagem obrigatória.
Por Máxima, 05.06.2017

Nas antigas adegas nascem agora espaços de coworking, cervejeiras artesanais, galerias de arte e até academias de desportos radicais. É preciso adentrar-se pelas ruas deste bairro da capital para senti-lo a fervilhar. Venha daí. 

Café com Calma

A alma da Rua do Açúcar está aqui, nesta calmaria, que fica mais agitada à hora do almoço. É que é difícil encontrar alguém nas ruas de Marvila que não seja cliente do Café com Calma, que se instalou no bairro em 2015. "Achava que esta zona oriental da cidade precisava de uma lufada de ar fresco, de um espaço com comida caseira, saudável e honesta", explica-nos a proprietária, Rita Estanislau. Pratos ‘da avó’ pendurados na parede, cadeiras e mesas de madeira de antigamente, alguns bancos ‘vestidos’ com malhas cool da marca portuguesa Ursotigre e talheres guardados em bolsas de tecido florido são alguns dos detalhes que fazem deste um café cheio de carisma que já é famoso pelo brunch (que vigora até ao final de maio, voltando depois em novembro), mas fideliza clientes também pelos menus do dia – opção vegetariana, de carne e de peixe – e pelos bolos caseiros. As tartes com mousse de chocolate e frutos vermelhos (sem glúten) estão no topo dos mais pedidos!

Rua do Açúcar, 10. Tel. 21 868 03 98. De segunda a sexta, das 08h às 19h. Sábado, das 12h às 17h (brunch até às 16h) 

El Bulo Social Club by Chakall

"Os restaurantes são muito aborrecidos", conta-nos Chakall, o chef que é também DJ e que em tempos foi crítico de música da revista Rolling Stone. É por isso que o El Bulo, o espaço que abriu em abril do ano passado em Marvila, não é um simples restaurante, mas antes um ponto de encontro para provar comida descomplicada de inspiração sul-americana, beber um copo, apreciar música ao vivo e até dançar. Quando entramos no El Bulo é fácil deixarmo-nos contagiar pela intensidade de cor que preenche o antigo armazém de vinho de 700 metros quadrados, desde o enorme mural com caveiras mexicanas e a Nossa Senhora de Guadalupe até aos floridos estofos das cadeiras. Ao fundo da sala, numa espécie de mezanino, ergue-se um palco onde todas as quintas, sextas e sábados decorrem concertos de vários estilos de música. À entrada, saúda-nos uma pequena loja com livros do chef, utensílios de cozinha e outros complementos. Mas a mão de Chakall no bairro mais emergente de Lisboa não vai ficar por aqui. Há mais dois projetos a serem ultimados que prometem dar vida extra à nova Marvila. 

Praça David Leandro da Silva, 9-A. Tel. 21 861 90 27. De terça a sábado, das 12h às 16h e das 19h30 às 02h

Bar Capitão Leitão

O balcão verde, pintado de forma tosca, os bancos altos a condizer e o contraste do rosa-néon numa ou noutra cadeira determinam o tom do mais recente bar de Marvila: cool e descontraído. Bastam dois dedos de conversa com os proprietários, Viviana e William, para entender a onda. Os dois viveram em Londres e trabalharam, entre outras coisas, em bares e restaurantes. O sonho de ter um espaço só deles cresceu e em março ganhou forma na rua que lhe dá nome. A música e os cocktails são os capitães que levam este bar a bom porto. Por ali bebe-se um Old Fashioned (€7) acompanhado por azeitonas Gordal com laranja, pão e azeite, descobrem-se as cervejas artesanais da zona – Lince, Musa e Dois Corvos (a partir de €3) – ao som de um DJ ou ouve-se (e compra-se) um disco de vinil aconselhado pelo próprio William, ou DJ Will Grant. Um conselho: não deixe de visitar a casa de banho para se surpreender com duas sanitas únicas de inspiração mexicana.

Rua Capitão Leitão, 5-B. Tel. 21 580 95 94. Quarta e quinta, das 16h à meia-noite. Sexta, das 16h às 2h. Sábado e domingo, das 18h à meia-noite  

Cervejeira Dois Corvos

A Dois Corvos é uma das três fábricas de cerveja artesanal que se estabeleceram no bairro de Marvila (estará mesmo para nascer um Lisbon Beer District?). Ao contrário das conterrâneas Lince e Musa, a ‘casa’ da cerveja criada pelo casal Susana Cascais e Scott Steffens é a única, por enquanto, a ter um espaço aberto ao público para degustação das cervejas – o Tap Room. Aqui, com vista privilegiada para a pequena fábrica onde tudo acontece, provam-se as cervejas permanentes e as fermentações sazonais, denominadas Marvila Series, enquanto se ‘pica’ um snack ou se come uma pizza. Na dúvida de qual cerveja degustar primeiro, peça ajuda a um dos cervejeiros que a aconselhará cuidadosamente de acordo com os seus gostos. No fim, ainda pode levar a sua preferida para casa num Growler, voltando para reabastecer sempre que quiser.

Rua Capitão Leitão, 94. Tel. 91 444 03 26. O Tap Room está aberto de domingo a quinta, das 14h às 21h. Sexta e sábado, das 14h à meia-noite

Cantinho do Vintage

O projeto tem cinco anos, mas só há cerca de dois e meio é que se instalou em Marvila. O armazém de 5 mil metros quadrados já é pequeno para tantas peças originais de mobiliário vintage e nórdico e de iluminação que Carlos Silva e Ivo Mateus juntam todas as semanas. Os fundadores têm visto o seu Cantinho crescer a olhos vistos e, depois de terem mobilado meia Baixa da cidade, prosseguem com novas parcerias e um novo armazém, também em Marvila. Por ali conseguirá fazer uma viagem no tempo entre €60 e €650, trazendo para casa um candeeiro original dos anos 70 ou uma mesa de madeira de inspiração nórdica criada pela equipa do Cantinho. 

Antigos armazéns Abel Pereira da Fonseca, Praça David Silva Leandro, 8. Tel. 91 200 75 52. Segunda-feira, das 21h às 23h, e sábado, das 10h às 18h

Spot Real

Haveria melhor sítio para fazer nascer a primeira academia portuguesa de Parkour e free running (uma variante da modalidade) do que um armazém com um pé-direito altíssimo, num bairro emergente de Lisboa e com uma renda (agora já não tão) baixa? Nuno Santos, em conjunto com mais três amigos, todos praticantes e formadores certificados em Parkour, garante que encontraram o ‘spot’ ideal para o seu Spot Real. "Queríamos trabalhar por conta própria e dar a conhecer e expandir o Parkour em Portugal", conta-nos o jovem de 25 anos. O quarteto foi responsável por toda a reabilitação do armazém, da pintura à iluminação, e gere hoje um espaço que acolhe miúdos e graúdos apaixonados ou curiosos por esta modalidade. Desde o final de 2015 é possível usufruir do espaço em opção de treino livre ou em aulas com instrutor, de grupo ou privadas (a partir €7,85). Atenção: depois de se atirar a primeira vez para a piscina de esponjas, em total segurança, poderá não querer outra coisa!

Praça David Leandro da Silva, 13. Tel. 21 861 90 25. De segunda a sexta, das 14h às 22h. Sábado, das 10h30 às 19h30. Domingo, das 10h30 às 13h

Vertigo Climbing Center

É o maior centro indoor de escalada de Lisboa e chegou a Marvila em outubro de 2015 para elevar, literalmente, o conceito de lazer. Nos momentos em que as paredes naturais estão mesmo inacessíveis, este torna-se um local de encontro privilegiado para os amantes da escalada (e do Bolder, uma variante) e simples curiosos. Ao olhar para aquele enorme Rocódromo, cujas vias coloridas se alteram todas as semanas, só apetece mesmo calçar os pés de gato e começar a trepar parede acima. Para entrar na aventura basta aparecer, com as crianças ou a família toda, para uma aula (€8, aos fins de semana) e deixar o tempo voar. Mas há mais. Quando a fome, a gula ou a sede apertarem a meio do ‘voo’, faça uma pausa na zona do café para degustar uma tosta em pão alentejano, um hambúrguer vegetariano em bolo do caco, um parfait de iogurte, panquecas com xarope de ácer ou um chá de açaí e mirtilos.

Avenida Infante Dom Henrique, Edifício Beira-Rio, Fração S. De segunda a quinta, das 15h às 23h. Sexta, das 15h às 22h. Sábado, das 11h às 21h. Domingo, das 11h às 18h

Galeria Baginski

Andréa Baginski Champalimaud foi uma das impulsionadoras do movimento cultural de Marvila. A sua galeria assentou arraiais por ali em 2009, num armazém de 650 metros quadrados onde anteriormente funcionava uma fábrica de fósforos, para acolher exposições de artistas, estabelecidos e emergentes, sobretudo de Portugal, América Latina e África. "Nos últimos dois anos a agitação tem sido cada vez maior aqui em Marvila", explica-nos Miguel Mesquita, diretor artístico da galeria. Na verdade, a zona conta já com uma mão-cheia de galerias de arte: a vizinha Múrias Centenas, na mesma rua, a Underdogs, dedicada a artistas ligados a uma cultura de inspiração urbana, a Galeria Filomena Soares, de arte contemporânea, e a novíssima Galeria Francisco Fino, que abriu no dia 15 de maio. Hoje, a Baginski representa 13 artistas e até 9 de junho recebe uma mostra de pintura e colagem da artista lisboeta Ana Vidigal.

Rua Capitão Leitão, 51-53. Tel. 21 397 07 19. De terça a sexta, das 14h às 19h. Sábados, das 14h às 20h

Lisbon WorkHub

Do antigo armazém, que outrora acolheu os apartamentos dos gestores da sociedade Abel Pereira da Fonseca, Sara de Praetere criou, em meados de 2015, um novo local de trabalho partilhado, pela mão da arquiteta Maria Manuela Alvarez. Com uma taxa de ocupação de 80%, neste espaço de cowork coabitam agências de comunicação, criativos, negócios na área da música ou da reabilitação urbana. Pode-se escolher entre um ‘hub’ (pequeno escritório), que pode até ter varanda e vista para o jardim do Poço do Bispo, ou uma secretária num open space, a partir de €100/mês. "Este era um bairro pelo qual todos passavam, entre o Parque das Nações e o Cais do Sodré, e ninguém parava", conta-nos Sara. Agora, a história já é outra.

Rua Amorim, 2. Tel. 21 868 04 45 

Todos Creative Hub

Dois amigos, o mesmo nome e uma só vontade: ter um local para dar asas, sem limites, aos seus projetos de design e de realização de publicidade, partilhando-o com outros criativos com a mesma filosofia. Foi assim que em 2012 nasceu o Todos, um núcleo criativo ao qual Frederico Mancellos e Frederico Martins foram dando forma, reunindo pessoas e negócios das áreas criativas, da comunicação à publicidade, passando pelo audiovisual. Neste momento já são cerca de 70 e a casa está (praticamente) cheia. O objetivo? Crescer em comunidade, à boa "maneira de estar marvilense", como nos explica Mancellos, cruzando ideias e projetos. As arcadas do antigo armazém são a casa – e a alma – de cada negócio. Ao centro, um enorme espaço comum com um estúdio para dar vida à criatividade, em fotografia ou em vídeo.

Rua Pereira Henriques, 3. Tel. 21 019 49 34

Fábrica Moderna

Nesta oficina criativa a máxima é transformar ideias em produtos e só vale colocar mãos à obra e de forma partilhada. Este espaço de coworking, específico para ‘makers’ (nova geração de empreendedores), cede espaço, bancadas de trabalho, instrumentos e ferramentas a fazedores, desde designers de produto a crafters, passando por criativos e engenheiros. Mais: acolhe inúmeros workshops para miúdos e graúdos, onde se aprendem técnicas como modelação 3D, modelagem de barro, serralharia, trabalho com metais, etc.

Rua Pereira Henriques, 24. Tel. 96 049 80 50

Por Carolina de Almeida

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!