Mundo

Greenery, a cor do ano. Mas porquê?

PANTONE® 15-0343 Greenery. O grau de especificação do nome é proporcional à particularidade da cor: um verde-citrino fresco e revigorante, cheio de boas vibrações e de energia positiva. Falámos com Leatrice Eiseman, diretora executiva do “Pantone Color Institute - Cor do Ano” para saber como se elege a cor do ano.
Por Máxima, 25.01.2017
Todos os anos é escolhido o Pantone, um conjunto de tons que será tendência na moda, na decoração e até na arquitetura. Depois, há a cor do ano. E este ano foi eleito o Greenery que, como num passe de magia, saltou dos famosos smoothies verdes (um incontornável da alimentação saudável) para a eleita cor do ano. Como? São cerca de dez as pessoas que estão envolvidas nesta escolha, que pode ter variáveis impressionantes. "Olhamos para várias áreas que envolvem design de forma a conseguir pistas sobre a cor que está em ascensão, incluindo Belas-Artes, pop-art, filmes, cidades que recebem grandes eventos de desporto, moda, cosméticos e até design industrial, onde a cor tem agora um papel mais importante que nunca. Também olhámos para as influências socioeconómicas do momento e falámos com muitas pessoas sobre os seus sentimentos" confessa à Máxima Leatrice Eiseman, diretora executiva do Pantone Color Institute - Cor do Ano, e ligada à escolha desde o início.

Este tom, o 15-0343 Greenery, não é apenas um nome que identifica um dos milhares de tons existentes. Tem um simbolismo que pode afetar as nossas vidas, mesmo sem nos apercebermos. "O Greenery vai explodir em 2017 para nos dar a esperança que precisamos no cenário social e político atual. Para satisfazer o nosso desejo crescente de rejuvenescer, revitalizar e de nos unirmos, o Greenery simboliza a necessidade de voltar a estabelecer contacto com a Natureza, uns com os outros e com um propósito maior" reforça. Além de atingir várias indústrias, da moda à arquitetura, esta cor influencia o mood das pessoas e as suas vidas. "Todos nós sabemos quão edificante pode ser usarmos cores que adoramos ou que representam algo em que acreditamos de coração. Por exemplo, o greenery representa o tema da preservação ambiental e - se esta for uma causa à qual alguém está muito ligado - usar esta cor pode significar muito!"
 

E na decoração? É um boost essencial para gerar discussões sobre as tendências da cor. "Essa é a nossa intenção primária, levar as pessoas a expressar o que sentem sobre a cor, encorajando as suas habilidade criativas. Pintar de fresco as paredes da casa ou simplesmente dar nova vida a uma peça de decoração envelhecida (…) são formas instantâneas de mudar a aparência da casa. E o mesmo se aplica ao exterior" afirma.

Já quando falamos de arquitetura, o poder desta cor em particular é incontornável. "Há uma necessidade crescente de dar mais cor no ambiente urbano. Há jardins verticais que surgem no exterior dos prédios, jardins em rooftops, os chamados pocket gardens - jardins pequenos que servem de refúgio em grandes cidades – sítios onde as pessoas podem respirar nem que seja por um curto período de tempo e sentirem-se com mais energia" conclui. Haverá razões para não gostar do Greenery e de toda a positividade a que lhe é associada?

 

Por Rita Silva Avelar
Tags: greenery máxima leatrice eiseman pantone color institute arte decoração
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!