Culturas

Dos Rockefeller aos Kennedy, as histórias por trás das grandes dinastias que moldaram o mundo

Poder, dinheiro, beleza, tragédia e êxito. Estes são os nomes das famílias que se transformaram nas mais poderosas dinastias dos últimos anos, dos negócios à política ou ao entretenimento.
Por Aline Fernandez, 25.02.2019

Como foram criadas, ao longo dos anos, as grandes fortunas do século XX? E quais foram as histórias por trás das famílias mais conhecidas do nosso tempo? O sucesso dos Onassis, o poder e maldição dos Kennedy, o conto de fadas dos Grimaldi, o império Tiffany e os trunfos dos Trump – estes são alguns dos apelidos que aparecem na nova edição do livro As Grandes Dinastias, publicado pelo Clube do Autor e parte da coleção com a chancela do Canal de História. A obra relata com pormenor e rigor a história dos empreendedores que construíram impérios, criaram estilos e alcançaram o reconhecimento do público no mundo, reunindo ingredientes apetecíveis como dinheiro, poder, beleza, glamour, tragédia e êxito.

Eis um pequeno trecho das histórias reais e fascinantes das famílias mais famosas do século XX:

Os Agnelli

Gianni Agnelli dirigiu a Fiat durante 37 anos e, além de ser dono de um dos maiores fabricantes de automóveis do mundo – responsável por cerca de 5% do produto interno bruto do seu país –, detinha a equipa de futebol italiana Juventus, o clube automóvel Ferrari, os vinhos franceses Château Margaux, os diários Corriere della Sera e La Stampa, entre outros. Duas das grandes desgraças da família aconteceram com o seu único filho, Edoardo, que se precipitou no viaduto da auto-estrada Turim-Sabóia, conhecido como "a ponte dos suicidas", e com o seu neto Lapo Elkann, este após a sua morte. Aos 28 anos, Lapo, que trabalhava como responsável pela promoção da Fiat em todo mundo, foi internado em estado grave na unidade de cuidados intensivos do Hospital Mauriziano de Turim, devido ao consumido de um cocktail de cocaína, heroína, ópio e fármacos. No entanto, não foram as drogas que chamaram a atenção da imprensa. As primeiras informações referiam que ele passou a noite no apartamento de uma mulher que logo se pensou que fosse a sua noiva, Martina Stella. Porém, era na casa de Donato Brocco que Lapo estava, um prostituto travesti conhecido por Patrizia, que lhe salvou a vida ao ter chamado rapidamente a ambulância. Lapo Elkann despertou três dias depois.

Os Grimaldi

A Casa de Grimaldi descende de uma importante família nobre da aristocrática República de Génova. Um ramo desta dinastia tornou-se soberana do Principado do Mónaco, desde 1297. O atual chefe da Casa de Grimaldi é Sua Alteza Sereníssima o príncipe Alberto II de Mónaco, que durante anos foi alvo de atenção por ser solteiro e por ter namorado atrizes e modelos famosas tais como Brooke Shields, Claudia Schiffer, Angie Everhart, Catherine Oxenberg e Victoria Zdrok. Foi visto pela primeira vez com ex-nadadora sul-africana Charlene Lynette Wittstock em fevereiro de 2006, na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno. Casaram-se em 2011.

Os Gucci

O apelido da família italiana que é conhecido pela marca de luxo foi marcado por histórias de cobiça e loucura. Durante 30 anos os membros da família enfrentaram 18 julgamentos por fraude, falsificação, evasão fiscal, contrabando de divisas, entre outros. Em 1995, um dos netos do fundador Guccio Gucci, Maurizio Gucci, foi morto a tiro na rua e a sua mulher, Patrizia Reggiani, foi condenada a 29 anos de prisão. Esta é apenas uma das histórias contadas no livro.

Os Johnson

Robert Wood Johnson transformou uma empresa de fabrico de pensos de gaze numa gigante da indústria sanitária – atualmente possuem 120 mil empregados em 250 filiais pelo mundo e registam vendas anuais de mais de 38 mil milhões de euros. O capítulo sobre esta família conta como eles enfrentaram a morte de sete pessoas após a ingestão de cápsulas envenenadas de Tylenol e, claro, a disputa homérica pela herança milionária.

Os Kennedy

Uma das famílias mais famosas do século XX tanto pelas proezas quanto pelos escândalos e tragédias. Falava-se até de uma maldição, já que os três filhos do patriarca Joseph Patrick Kennedy morreram de forma violenta e três dos seus netos também, sendo o assassinato do então presidente John Fitzgerald Kennedy, a 22 de novembro de 1963, um dos mais marcantes da história dos Estados Unidos da América e do mundo.

Os Onassis

Aristóteles Onassis foi um dos homens mais ricos do mundo nos anos 40 e diz-se que Marilyn Monroe, Greta Garbo e Eva Perón não resistiram aos seus encantos. A cantora de ópera Maria Callas sofreu quando este casou com uma das mulheres mais influentes e admiradas dos anos 60, Jacqueline Kennedy, mas o império multimilionário que construiu destruiu-o a ele e à sua família. A Fundação Alexander Onassis em Atenas e um hospital são as únicas coisas que sobraram da lenda na Grécia.

Os Rothschild

Nome presente nos mercados financeiros do mundo por mais de 200 anos, há quem diga que a família Rothschild criou o seu império à base do dinheiro roubado e de fraudes. A história do comerciante Mayer Amschel começou na miséria num gueto judeu em Frankfurt. O dinheiro dele e dos seus cinco filhos tornou-os numa das famílias mais ricas da Europa, emprestando quantias avultadas a casas reais e mais tarde tornando-se proprietários das adegas de vinho de Bordéus mais famosas do mundo.

Os Bush

O mundo dificilmente esquecerá a imagem de George W. Bush ao receber a notícia do ataque ao World Trade Centre a 11 de setembro. Um dos presidentes norte-americanos mais reconhecidos do mundo foi o segundo Bush a ser dirigente máximo do país mais poderoso. A história da família de políticos, empresários e banqueiros bem-sucedidos desde os anos 30 é contada no livro.

Os Hilton

Conrad Nicholson Hilton tem uma origem humilde e transformou a indústria hoteleira mundial. O seu filho William Barron seguiu o legado, apesar de hoje o nome mais conhecido desta família ser o da bisneta e socialite Paris Hilton. Mais que uma vez foi divulgado que os constantes escândalos de Paris fizeram o avô deserdá-la de uma fortuna avaliada pelas Forbes em mais de 365 milhões de dólares. Contudo, Paris não foi a primeira Hilton popular na imprensa cor-de-rosa, já que desde a sua origem, a história do clã hoteleiro está ligada a escândalos.

Os Rockefeller

Não houve família tão rica e relevante nos últimos séculos como os Rockefeller. Estiveram na vanguarda da filantropia, das finanças, da política e da indústria. O controlo da dinastia coube aos homens, tendo as mulheres pouca ou nenhuma influência na gestão da fortuna familiar. Tão ricos quanto difamados, o patriarca William Rockefeller era considerado um explorador, que havia conquistado a fortuna à custa do suor e sangue dos seus trabalhadores.

Os Tiffany

O apelido associou-se a uma das joalheirias mais famosas do mundo. A loja da Quinta Avenida fascinou a elite de Nova Iorque e a realeza europeia, consagrando-se com Audrey Hepburn numa das cenas mais icónicas do Cinema. O fundador Charles Tiffany viveu com moderação, ao contrário do seu filho, Louis Comfort, que não quis herdar o negócio familiar, firmou-se como artista e gastando dinheiro com excentricidades.

Os Trump

A história do atual presidente dos Estados Unidos da América e um dos magnatas mais conhecidos da atualidade conta como Donald Trump foi do negócio imobiliário para autor de diversos best-sellers e apresentador do seu próprio e bem-sucedido reality show. Polémicas não faltaram quando a trajetória era marcada por "vale tudo para conseguir dinheiro".

Os Vanderbilt

Uma das famílias mais conhecidas e antigas dos Estados Unidos da América tornou-se famosa com Cornelius Vanderbilt, que se dedicou inicialmente a transportar armamento em Nova Iorque. Ambicioso, a fortuna que construiu deixou-o sem modéstia: dizia-se Cornelius reproduzida a sua fotografia nos certificados de ações convencido de que assim as mulheres as comprariam.

Os Iglesias

Os American Music Awards de 1998 marcaram a família espanhola. Julio Iglesias já contabilizava três décadas de carreira musical e estava nomeado para o prémio de Melhor Artista Latino juntamente com o seu filho Enrique, com 22 anos. Julio foi o vencedor da noite e quase quatro anos mais tarde, o segundo "concorrente" da família chegaria: Julio José, o seu primeiro filho e irmão de Enrique. Tornaram-se numa das famílias mais conhecidas da indústria musical.

Os Thyssen

A fortuna da família começou no século XIX com a exploração do aço, ferro e da indústria de armamento. Só que August Thyssen também era ligado ao mundo das artes. Começou com sete esculturas Rodin e seus descendentes converteram as demais obras adquiridas na maior coleção privada de arte do mundo – desde 1992 grande parte está em exibição no Museu Thyssen-Bornemisza, em Madrid. A riqueza trouxe disputas e Hans Heinrich, o segundo barão de Thyssen-Bornemisza, fez um acordou para dividir a herança entre os filhos e a sua quinta mulher, Carmen Cervera. Ainda assim, após a sua morte, a baronesa processou o um dos filhos pelo direito sobre dois quadros, um de Goya e outro de Giaquinto, que afirmava que lhe foram dados pelo barão.

Tags: família dinastia poder dinheiro história livro as grandes dinastias clube do autor canal de história agnelli gianni agnelli príncipe alberto ii mónaco gucci guccio gucci johnson kennedy john fitzgerald kennedy onassis aristóteles onassis jacqueline kennedy rothschild bush george w. bush hilton paris hilton rockefeller tiffany trump donald trump vanderbilt iglesias julio iglesias enrique iglesias julio josé thyssen thyssen-bornemisza
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!