Culturas

Corpos suspensos e raios laser, ‘Romeu e Julieta’ chega hoje ao Teatro Nacional D. Maria II

A versão do encenador John Romão com Mariana Monteiro e João Cachola faz-nos pensar a velocidade e a ideia de amor na contemporaneidade.
Por Aline Fernandez, 14.02.2020

Habituámo-nos a pensar em Romeu e Julieta em todo o seu tradicionalismo e trajes de época representativos do século XVI. Afinal, a obra imortal de William Shakespeare partiu de um texto, transformou-se em peça teatral, publicou-se como livro e conquistou o mundo em quadros de arte, filmes no cinema e na televisão. Mas não se espere ver a icónica cena da varanda na versão da peça de John Romão que estreia hoje no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa.

A carregar o vídeo ...
Nos bastidores de ‘Romeu e Julieta’ com Mariana Monteiro e João Cachola

A tragédia mantém-se, mas há espaço para a contemporaneidade. O encenador inspirou-se na velocidade da nova geração e questionou o lugar do corpo na atualidade para pensar a montagem da apresentação do espetáculo. "Trabalhar Shakespeare de uma forma muito generalista é quase impossível", contou John ao grupo de jornalistas na apresentação do ensaio da peça para a imprensa. Portanto, a abordagem livre e transgressora da história de amor é uma referência constante aos tempos modernos.

Vemos a suspensão dos corpos de Romeu, Julieta, Benvólio, Mercúcio e Teobaldo – as mesmas cinco personagens que morrem na narrativa – em estruturas que parecem levitar sob os olhos da plateia. O cenário completa-se apenas com jogos de luz com raios laser, que reforçam os limites e fronteiras das famílias Montéquio e Capuleto. Para John Romão, Romeu e Julieta são dois jovens que avançam incessantemente com os olhos postos no futuro e "atropelam" o presente dos seus corpos que apenas estarão juntos na morte, ou seja, na ausência (ou no apogeu) da velocidade.

A carregar o vídeo ...
John Romão explica nova peça ‘Romeu e Julieta’

Os espectadores verão personagens que sucumbem à gravidade, num tempo marcado por um vertiginoso aceleramento que faz os corpos correrem para o fim. Uma mistura perfeita do clássico de 1595 com a vida em 2020.

O quê? Romeu e Julieta. Onde? Sala Garrett do Teatro Nacional D. Maria II, na Praça D.Pedro IV, Lisboa. Quando? Até 1 de março, quarta-feira e sábado às 19h; quinta e sexta-feira às 21h e domingo às 16h. Quanto? Dos €4,50 aos €16.

Tags: romeu e julieta peça teatro john romão mariana monteiro joão cachola teatro nacional d. maria ii william shakespeare
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!