Culturas

Abriu o primeiro museu dedicado à filigrana

A House of Filigree abriu as portas na cidade do Porto com o objetivo de enaltecer e promover uma das mais antigas e prestigiadas técnicas de ourivesaria: a filigrana.
Por Vitória Amaral, 09.12.2019

Instalada num edifício emblemático do século XIX no coração da cidade do Porto, a House of Filigree desdobra-se em três vertentes: o Museu, o Atelier e a Boutique. A casa nasce pelas mãos de Luísa e Pedro Rosas, filhos de David Rosas – fundador da empresa e marca homónimas de alta joalharia e relojoaria – e pertencentes à quinta geração de uma família com ligações à ourivesaria desde meados do século XIX. "O nosso objectivo é proteger e divulgar uma tradição de cultura a excelência em Portugal, que se encontra ameaçada e desvalorizada pela proliferação de peças de fabrico industrial produzidas em massa por injeção em moldes", explica Luísa Rosas.  

O Museu propõe uma viagem imersiva pelo universo e história da arte da filigrana portuguesa com a curadoria de Paulo Valente. A exposição permanente intitulada Filigranas Portuguesas. Da perícia da técnica à elegância do uso conta com um espólio de peças emblemáticas que datam dos séculos XIX, XX e XXI, assim como um conjunto de vários instrumentos utilizados na produção tradicional, da preparação do fio à construção da armação e enchimento.

House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
Coleção Contemporary, House of Filigree
Coleção My Filigree, House of Filigree
Coleção Contemporary, House of Filigree
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
House of Filigree, Porto
Coleção Contemporary, House of Filigree
Coleção My Filigree, House of Filigree
Coleção Contemporary, House of Filigree
Abriu o primeiro museu dedicado à filigrana

A coleção de ourivesaria, com mais de uma centena de peças, contempla a ourivesaria de adorno nas tipologias tradicionais (pendentes, relicários, cruzes de Malta, brincos e arrecadas), assim como peças de uso pessoal e decorativo e esculturas. A mostra inclui ainda um atelier no qual os visitantes poderão apreciar ao vivo a minúcia e perícia de artesãos que se encontram ali em permanência. Numa altura em que é urgente promover o talento dos artesãos, a House of Filigree pretende ser um centro de formação para os novos artífices, possibilitando a criação e oportunidades de trabalho e assim garantindo a continuidade da arte.

Esta iniciativa partiu de uma pequena coleção da família dos promotores, enriquecida com aquisições no mercado de leilões e antiguidades, e algumas a particulares. A casa integra ainda uma boutique de peças em filigrana que estarão disponíveis nos segmentos Heritage e Contemporary (em português, história e contemporaneidade). A House of Filigree pretende contribuir para a preservação e divulgação do talento nesta área cuja técnica, minúcia e perícia têm um valor absolutamente incalculável.  

 

 

 

 

 

Tags: house of filigree filigrana ourivesaria joalharia david rosas porto museu boutique atelier
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!