Mundo

5 artistas únicos nas exposições que sugerimos em fevereiro

Cinco artistas e cinco estilos em quatro cidades que convidam a um passeio no mês dos namorados.
Por Carolina Carvalho, 02.02.2019

Retrospetiva

A história da arte do século XX não se conta sem o nome de Victor Vasarely (1906-1997). Na década de 1960, a Op Art tornou-se um dos movimentos artísticos mais populares e contagiantes na cultura popular da época, mas foi na década anterior que o artista húngaro/francês começou a construir o que seria um estilo artístico. Vasarely nasceu na Hungria e mudou-se para Paris, em 1930, onde trabalhou como designer gráfico. Depois da II Guerra Mundial fez da arte a sua profissão e bebeu inspiração tanto na Bauhaus, no início da carreira, como na ficção científica, quando já dominava a geometria e a cor. Entre 6 de fevereiro a 6 de maio, o Centre Pompidou, em Paris, presta homenagem ao artista com a maior retrospetiva já feita em França: Vasarely ? Sharing Forms.

Vasarely ? Sharing Forms. De 6 de fevereiro a 6 de maio, no Centre Georges Pompidou, em Paris.


Pintura

No Porto, Miró volta a ser protagonista de uma exposição em Serralves. Joan Miró e a Morte da Pintura reúne obras da Coleção do Estado Português com outras de coleções espanholas e francesas que se estreiam em Portugal. A exposição foca-se no trabalho produzido em 1973, ano em que o artista organizou (aos 80 anos de idade) uma retrospetiva no Grand Palais.

 

Joan Miró e a Morte da Pintura. De 12 de Dezembro a 3 de Março, na Casa  de Serralves, no Porto.

O Brooklyn Museum apresenta, entre 8 de fevereiro e 12 de maio, a exposição Frida Kahlo ? Appearances Can Be Deceiving com base na mostra que esteve recentemente no Victoria & Albert Museum. Além de obras da artista mexicana, estarão em exibição roupas e objetos pessoais, assim como peças da coleção de arte mesoamericana do museu nova-iorquino.

Frida Kahlo ? Appearances Can Be Deceiving. De 8 de fevereiro a 12 de maio, no Brooklyn Museum, em Brooklyn (Nova Iorque).

Fotografia

Em 1993, a Robert Mapplethorp Foundation cedeu ao Museu Guggenheim de Nova Iorque quase 200 fotografias e objetos do artista americano, dando origem a um dos maiores repositórios da sua obra no mundo. Neste ano em que se assinalam 30 anos sobre a morte de Robert Mapplethorpe (1946-1989), o museu abre a exposição Implicit Tensions ? Mapplethorpe Now (de 25 de janeiro até 5 de janeiro de 2020) dividida em duas partes: a primeira com obras do próprio e a segunda com obras de artistas contemporâneos que refletem a inspiração em Mapplethorpe, tudo da coleção do museu.

Implicit Tensions ? Mapplethorpe Now. De 25 de janeiro a 24 de julho e de 24 de julho a 5 de janeiro de 2020, No Museum Guggenheim, em Nova Iorque.

Em Madrid, a exposição Man Ray ? Objetos de ensueño presta homenagem a este mestre da fotografia, de 31 de janeiro a 21 de abril, na Fundación Canal, com mais de 100 obras daquele artista surrealista.

Man Ray ? Objetos de ensueño. De 31 de janeiro a 21 de abril, na Fundación Canal, em Madrid.




Tags: exposição nova iorque moda madrid porto surrealismo fotografia paris pintura
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!