Dia Mundial do Livro

10 livros para ler depois de um desgosto de amor

Escritos por quem ultrapassou a dor da perda, ou por quem a estudou, estes livros são a escolha certa para ultrapassar um desgosto, com mais ou menos humor e graciosidade.
Por Rita Silva Avelar, 23.04.2019

Conversas com amigos ou sessões de terapia à parte, o cinema, a televisão e a literatura são muitas vezes a saída desse labirinto que é um desgosto de amor. Em última análise, estes dez livros são a prova de que todos os seres humanos já experimentaram - voluntária ou involuntariamente – o espectro da dor da perda e da melancolia de um amor perdido. O amor é universal, a perda também. Rir pelo meio da viagem (ou da leitura) é fundamental, sabendo que a resposta é sempre renascer e amar de novo.

Everything I Know About Love, de Dolly Alderton

Neste romance autobiográfico, a cronista da The Sunday Times Magazine Dolly Alderton narra as suas aventuras dos seus vinte anos (terminando nos trinta). No livro, a londrina relata saídas inesperadas a meio da noite para ir a uma festa noutra cidade, fala sobre os seus romances inesperados (e os das suas amigas) sem filtros, conta aventuras com colegas de universidade e episódios sobre partilhar casa, relata encontros do Tinder e revela como embarcou em viagens sem dinheiro. O tom de Alderton é jovial, descontraído, descomprometido e acima de tudo descomplexado, tornando-se na leitura ideal para quem precisa de umas boas gargalhadas e de relativizar o tema amor. Everything I know About Love ganhou o prémio de Melhor Autobiografia do National Book Awards 2018. Penguin Books, €15,70

Quem nunca morreu de amor, de Eduardo Sá

Um dos psicólogos clínicos mais aclamados em Portugal (também psicanalista e professor na Universidade de Coimbra e do ISPA) Eduardo Sá escreveu Quem nunca morreu de amor para ajudar todos aqueles que saem de uma relação sem rumo. E diz, sem filtros, que o primeiro passo para quem sai de uma relação e "se quer curar do amor", é amar. Um livro de amor sem o ser, Quem nunca morreu de amor ensina, de forma descomplicada, a recuperar o ânimo que a ausência ou a perde de um amor provoca em cada um de nós, ensinando a renascer. Lua de papel, €16.

Laços, de Domenico Starnone

O primeiro romance do escritor italiano Domenico Starnone, Lacci – no original - narra a desastrosa vida amorosa de Vanda e Aldo, um casal a viver em Nápoles que nunca encontrou o balanço conjugal e a felicidade plena. Casados há mais de cinco décadas, Aldo e Vanda viveram uma vida de infelicidade envolta em traições, dramas e mentiras. No fim, acabam por se render à rotina e à inevitabilidade da velhice e são os filhos, a quem tornaram a existência de normalidade impossível, que lhes dão uma lição. Um livro para ler com um espírito de humor e numa perspectiva de aprendizagem, mas pautado por laivos de tristeza e impotência. Não fosse este um relato de uma vida onde não se encontrou o amor… Alfaguara, €14,90

Depois a louca sou eu, de Tati Bernardi

Desarmante e carismática, a autobiografia Depois a louca sou eu da escritora e cronista brasileira Tati Bernardi é uma viagem pelo labirinto simultaneamente complexo e intuitivo que é a sua mente. No livro, Bernardi narra o seu problema de ansiedade num registo humorístico, inteligente e confessional, que nos mostra que é sempre possível rirmos de nós mesmos - mesmo em situações complicadas. A par dos ataques de pânicos, da medicação excessiva, das ideias e pensamentos fervilhantes, Bernardi acaba por narrar também algumas das suas desventuras amorosas que fazem deste um livro ideal para descomprimir após um desgosto de amor. Sincero e sem filtros, Depois a louca sou eu é sobre como encarar um problema sério com humor, sempre num exercício de relativização. Tinta da China, €14,90.

O ano do pensamento mágico, de Joan Didion

Sincero e cru, o livro que Joan Didion escreveu sobre o ano mais difícil da sua vida começa na noite em que o seu marido, o escritor John Dunne (com quem foi casada mais de 30 anos) morre de ataque cardíaco, ao mesmo tempo que a sua única filha, Quintana, está em coma no hospital (e que também acaba por morrer). A aprender a viver com a dor da perda, Didion investiga sobre como os vivos sobrevivem aos mortos, e numa escrita tão clara como a água escreve, coloca tudo aquilo que lhe vem da alma no papel – seja num registo jornalístico, recorrendo a estudos, especialistas ou a poemas e obras de arte. Sobre amor e perda, O Ano do Pensamento Mágico é um testemunho sobre como sair da dor. Cultura Editora, €17,50.

A Instrução dos Amantes, de Inês Pedrosa

Este livro da escritora portuguesa Inês Pedrosa foi publicado em 1992 mas o tema adjacente ao mesmo, o amor, é intemporal. Pedrosa escreve sobre os primeiros amores, a descoberta da paixão na adolescência, sobre as decepções e os sonhos, ao relatar as relações de um grupo de amigos adolescentes. Uma história fictícia sobre desencontros e encontros amorosos, de amores incorrespondidos e paixões fulminantes, que é uma lição de amor para todas as idades. Afinal, quem não se recorda das primeiras paixões platónicas? Dom Quixote, €15,65.

Milk & Honey, de Rupi Kaur

Um bestseller do The New York Times, o livro da artista e escritora Rupi Kaur é um ensaio sobre o desgosto amoroso em forma de poesia. Através da narrativa poética e de ilustrações, a autora relata – baseando-se na experiência da primeira pessoa – todas as fases de um desgosto de amor. Da dor à cura, passando pela violência o livro divide-se em quatro capítulos que conduzem o leitor pelas várias fases desse processo que é resgatar o amor, sobretudo o amor-próprio. De forma transversal, acaba por abordar questões como a violência, abuso, perda. No fundo, é uma viagem agridoce pela cura para o amor. Andrews McMeel Publishing, €12,07

From a Low and Quiet Sea, de Donal Ryan

O livro de Donal Ryan narra três histórias distintas de perda. A primeira é a de Farouk, um médico, que ao sair da Síria de barco durante a guerra dos refugiados perde a mulher e a filha, e que vive na ideia ilusória de que vão surgir milagrosamente por entre as ondas do mar. A segunda é a de Lampy, um rapaz irlandês tenta sobreviver ao desgosto amoroso de ter sido deixado pela sua namorada, Chloe. Por fim, John, um homem mau que vive atormentado pela vida vaga e pela pessoa má que foi para todos, da sua mulher aos seus amigos. Três histórias paralelas sobre como superar a perda dos grandes amores da vida destas personagens. Transworld, €16,89

Dias de abandono, de Elena Ferrante

Sobre estar à beira do abismo depois de um desgosto, o livro Dias de Abandono conta a história de uma mulher italiana, Olga, que fica sozinha com os seus filhos pequenos após o marido sair de casa. Um livro narrado pela personagem abandonada, Dias de abandono reflecte precisamente sobre solidão e abandono, onde pensamentos sombrios e a mágoa são expressados de forma recorrente e crua. Acaba, também, por ser uma reflexão sobre o significado da vida e da razão de ser. Europa Editions, €13,28

Amor em tempos de cólera, de Gabriel García Márquez

Um dos mais aplaudidos romances do escritor colombiano Gabriel García Márquez, Amor em tempos de cólera conta a história de amor impossível de Florentino por Fermina, que passam mais de cinco décadas sem se ver, mas acabam juntos. Um livro sobre esperança que convida a reflectir sobre a passagem do tempo, sobre as adversidades e inevitabilidades da vida e sobre amores impossíveis. Dom Quixote, €19,90.

Tags: livros amor desgostos de amor everything i know about love dolly alderton quem nunca morreu de amor eduardo sá laços domenico starnone depois a louca sou eu tati bernardi o ano do pensamento mágico joan didion a instrução dos amantes inês pedrosa milk & honey rupi kaur from a low and quiet sea donal ryan dias de abandono elena ferrante amor em tempos de cólera gabriel garcía márquez
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!