C-Studio i

C-Studio

Pernas cansadas? Não, não é normal!

Um dia, depois outro, depois outro. Se a sensação de cansaço e peso é recorrente, está na altura de cuidar das suas pernas… JÁ!
Por Máxima, 05.06.2019

A combinação de jeans justos e de saltos altos é o look mais escolhido pelas mulheres, pela versatilidade. Basta combinar com uma blusa mais casual ou mais chique, e resulta tanto num dia de escritório como a dançar a noite inteira. Está pronta! E as suas pernas? Estão?

Pequenos gestos quotidianos, como o uso constante de roupa apertada, saltos demasiado altos ou demasiado baixos, longos períodos sentada de pernas cruzadas – como, provavelmente, está agora –, favorecem o aparecimento de uma condição nada desejada: a doença venosa crónica.

O nome pode soar-lhe estranho, os sintomas nem tanto: pernas pesadas e a doer, formigueiro ou comichão são sinais bastante comuns, aos quais se juntam a hiperpigmentação da pele, inchaço, aumento de sinais e veias varicosas.

Sente-se familiarizada com os sintomas? Pode sofrer de doença venosa crónica. Mas não está sozinha: em Portugal, estima-se que atinja 35% da população adulta, em que 60% são mulheres.

Mas afinal… Porque é que isto acontece? 


De uma forma simplificada: a circulação do sangue serve, numa primeira fase, para alimentar os tecidos e os órgãos do corpo e, numa segunda fase, para remover as impurezas. Este processo faz-se através de artérias, que levam o sangue do coração para o resto do corpo, e as veias, que fazem o caminho inverso. Nas pernas, o trabalho das veias complica-se, porque têm de contrariar a força da gravidade e fazer subir o sangue.

É um trabalho de equipa: é preciso que as válvulas das veias impulsionem a subida, que os músculos das pernas comprimam as veias no mesmo sentido, que a anatomia da sola do pé colabore no mesmo sentido. Fica assim justificada a necessidade de utilizar saltos médios.

Os motivos pelos quais a patologia atinge mais o sexo feminino prendem-se com  a ação das hormonas sexuais femininas, a gravidez, a contraceção oral e a menor massa muscular. Há, no entanto, outros fatores, imunes a género, nomeadamente a idade, a obesidade, a predisposição genética, o sedentarismo, a obstipação e os longos períodos de pé ou sentado, na mesma posição.

Então... O que fazer?


A maior preocupação quando se fala de varizes é estética, mas a doença venosa crónica traz sérias complicações se não for tratada. Os sintomas podem tornar-se mais severos e aumenta o risco de trombose venosa profunda e embolia pulmonar, úlceras da pele e um aumento da irritação.

É preciso tomar medidas para cuidar das pernas logo que é detetada. A terapêutica seguida é, normalmente, a combinação de um tratamento compressivo – com as chamadas meias de compressão – com um farmacológico.



O melhor é mesmo não descurar os primeiros sintomas e combater o problema de forma precoce. Os novos comprimidos DAFLON 1000 são a solução desde as primeiras queixas. DAFLON 1000 traz a novidade da toma única diária de 1000 mg num só comprimido. O tratamento fica assim mais fácil e eficiente para o doente. É um medicamento não sujeito a receita médica. 


A nova posologia de Daflon é uma forma de assegurar uma maior adesão ao tratamento por parte dos doentes, acarretando, desde logo, por esta via, uma maior eficácia da terapêutica. 

Formas de promover a circulação


•Usar roupas mais leves e soltas
•Optar por calçado de salto médio
•Fazer pausas no trabalho e caminhar durante alguns minutos
•Massajar as pernas com cremes refrescantes
•Ao deitar, colocar as pernas numa posição mais elevada facilitando a circulação sanguínea durante o sono.



Informações essenciais compatíveis com o Resumo das Características do Medicamento - Nome do medicamento*: Daflon® 1000. Composição*: Bioflavonoides (Fração flavonóica purificada micronizada). Cada comprimido revestido por película de 1000 mg contém: 90% de diosmina, ou seja 900 mg; 10% de flavonoides expressos em hesperidina, ou seja 100 mg. Forma farmacêutica*: Comprimido revestido por película, cor de salmão e de forma oval. Indicações terapêuticas*: Tratamento dos sintomas e sinais relacionados com a insuficiência venosa (pernas pesadas, dor, cansaço, edema). Tratamento sintomático da crise hemorroidária. Posologia e modo de administração*: Posologia habitual: 1 comprimidos revestidos por película por dia. Na crise hemorroidária: nos 4 primeiros dias: 3 comprimidos revestidos por película repartidos em 3 tomas; nos 3 dias seguintes: 2 comprimidos revestidos por película repartidos em 2 tomas; em seguida voltar à posologia de manutenção: 1 comprimidos revestidos por película por dia. Contraindicações*: Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização*: A administração deste medicamento no tratamento sintomático da crise hemorroidária não substitui o tratamento de outros problemas anais. Se não houver remissão dos sintomas, deve ser consultado um médico de forma a proceder-se ao exame proctológico e à revisão do tratamento, caso haja necessidade. Interações medicamentosas e outras formas de interação*: Não foram realizados estudos de interação. Fertilidade, gravidez e aleitamento*: Gravidez: O tratamento deve ser evitado. Estudos experimentais no animal não evidenciaram efeito teratógeno. Na espécie humana, até hoje, não foram referidos efeitos adversos. Amamentação: Na ausência de dados sobre a excreção no leite materno o tratamento deve ser evitado durante a amamentação. Fertilidade: Estudos de toxicidade em ratos machos e fêmeas não mostraram efeitos na fertilidade. Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas*. Efeitos indesejáveis*: Frequentes: diarreia, dispepsia, náuseas, vómitos. Pouco frequentes: colite. Raros: tonturas, cefaleias, mal-estar geral, erupções cutâneas, prurido, urticária. Frequência desconhecida: dor abdominal, edema isolado da face, dos lábios e das pálpebras. Excecionalmente edema de Quincke’s. Sobredosagem*: Não foram descritos casos de sobredosagem. Em caso de sobredosagem acidental, aplicar as medidas básicas de emergência para estas situações. Propriedades farmacológicas*: Protetor vascular e venotrópico. Daflon® 1000 exerce uma ação sobre o sistema vascular de retorno: ao nível das veias, diminui a distensibilidade venosa e reduz a estase venosa; ao nível da microcirculação, normaliza a permeabilidade capilar e reforça a resistência capilar. Apresentação: Caixa de 30 comprimidos revestidos por película. Titular da AIM: Servier Portugal - Especialidades Farmacêuticas, Lda. Av. António Augusto de Aguiar, 128, 1069-133 LISBOA. Tel: 213122000. Para mais informações deverá contactar o titular de AIM. Daflon® 1000 é um MNSRM. RCM aprovado em 12.2018. IECRCM 25.01.2019. *Para uma informação completa por favor leia o Resumo das Características do Medicamento. CÓD.19DAF013.

Leia cuidadosamente as informações constantes na embalagem e folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, consultar o médico ou o farmacêutico.

Partilhar
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!