Bem Estar

Costuma deitar-se tarde? Está na hora de repensar os seus hábitos

Um novo estudo sobre a taxa de mortalidade concluiu que quem se deita a altas horas da noite tem uma probabilidade de morrer mais cedo que as morning persons.
Por Pureza Fleming, 22.08.2018

Quer seja porque se fez uma maratona noturna de Netflix, passou-se horas a fazer scrolling no Instagram, ou talvez porque um jantar se desdobrou numa noite de copos, podem ser vários os motivos que nos deixam acordados até altas horas da noite. O resultado? Sentirmo-nos à morte quando o despertador toca.

Sinta-se desde já avisada, porque o primeiro estudo sobre as taxas de mortalidade das corujas noturnas descobriu que é mais provável que estas morram mais cedo do que as cotovias matinais.

De acordo com um artigo da Elle britânica, novas pesquisas, publicadas na revista Chronobiology International pela Universidade de Surrey e pela Universidade Northwestern, nos EUA, descobriram que as pessoas que ficam acordadas até tarde têm 10% mais chances de morrer mais cedo em comparação com aquelas que preferem a manhã.

Pesquisadores afirmam que o stress de viver numa sociedade 9-to-5 está a causar um enorme impacto em milhões de pessoas e poderia estar a diminuir a duração das suas vidas.

"Esta é uma questão de saúde pública que não pode mais ser ignorada", disse Malcolm von Schantz, professor de cronobiologia da Universidade de Surrey.

"Precisamos de mais pesquisas sobre como podemos ajudar os tipos noturnos a lidar com a taxa de esforço para manter os seus relógios biológicos em sincronia com a hora do sol."

O estudo envolveu cerca de 500 mil britânicos com idades compreendidas entre os 38 e os 73 anos e descobriu que cerca de 9% consideravam-se pessoas noturnas, enquanto 27% eram identificados como tipos da manhã.

Embora tenha havido estudos anteriores que examinaram as taxas mais elevadas de disfunção metabólica e doenças cardiovasculares, este é o primeiro do seu tipo a investigar os riscos de mortalidade.

"Corujas noturnas a tentar viver num mundo de cotovias pode ter consequências para a saúde dos seus corpos", disse Kristen Knutson, professora associada de neurologia da Feinberg School of Medicine da Universidade Northwestern, em Chicago.

"É possível que as pessoas que estão acordadas até tarde tenham um relógio biológico interno que não corresponde ao ambiente externo", acrescentou Knutson.

"Desde stress psicológico a comer a horas erradas, não se exercitarem o suficiente, não dormirem o suficiente, ficarem acordadas pela noite dentro e sozinhas, talvez o uso e abuso de drogas ou álcool… Há toda uma variedade de comportamentos não saudáveis ??relacionados com o ato de se passar a noite sozinho."

Para piorar a situação, os cientistas também descobriram que quem se deita tarde tem também taxas mais altas de diabetes, distúrbios psicológicos e distúrbios neurológicos.

No entanto, os pesquisadores descobriram que, quer seja uma coruja da noite ou antes uma cotovia da manhã, as razões dividem-se entre genéticas e ambientais. Ou seja, há uma esperança para se melhorar as rotinas noturnas de sono. "Ninguém está condenado", acrescentou Knutson. "Por um lado não se tem controlo, mas por outro sim."

A equipa aconselha os notívagos a tentarem expor-se à luz no início da manhã, manter horários e horas de ir para a cama regulares e fazer tarefas no início do dia para ajudar a reiniciar os ritmos circadianos.

E hoje alguém tem coragem de se deitar tarde?

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!