Saúde

40 alimentos com propriedades anticancro

Conversámos com a autora do livro Fast Food, Fast Life, Fast Cancer, a naturopata Cátia Antunes, para saber mais sobre a prevenção alimentar do cancro.
Por Rita Silva Avelar, 14.03.2018
Especialista em naturopatia, Cátia Antunes divide o seu dia a dia profissional entre consultoras e palestras acerca do tratamento das mais variadas doenças, sendo a área das oncológicas a que mais tem investigado, através deste método. A propósito do lançamento do seu novo livro Fast Food, Fast Life, Fast Cancer, Cátia Antunes conversou com a Máxima sobre os vários hábitos rotineiros na alimentação que podem potenciar uma vida mais saudável e prevenir o aparecimento de doenças cancerígenas.
 
Quais são as maiores desculpas que as pessoas dão para não comer de forma saudável?
 
O tempo que não têm, o prazer de que não querem prescindir e por vezes o preço que uma alimentação mais saudável pode ter.
 
Que hábitos simples e básicos devem constar na alimentação de qualquer pessoa?
 
A regra fundamental são os legumes! No mínimo, 50% do prato deve ser composto por legumes, sejam eles crus, em forma de salada, ou cozinhados. Mesmo que se coma sopa antes das refeições no prato, estes melhores amigos de uma boa saúde não devem faltar. Beber muita água fora das refeições e comer devagar de modo a mastigar bem os alimentos.
 
Quais são os alimentos com maiores características anti-cancerígenas?
 
Serão aqueles que ajudam a destruir as células cancerígenas, bem como aqueles que promovem uma boa imunidade. Passo a citá-los: crucíferas (nabos, brócolos, couve-flor, couve-roxa, couves-de-Bruxelas, rúcula, agrião, couve bok choy, rabanete e wasabi), couve frisada, couve-galega, rebentos de mostarda, alface, couves, espinafres, cenoura, tomate, funcho, alho, cebola, pimentos, sementes (linhaça, chia, sésamo e girassol), romãs, bagas silvestres, graviola, marmelo, citrinos, canela, gengibre, uvas (resveratrol), chá verde, cogumelos (maitake, reishi, shitake, Portobello, os mais importantes), gorduras ómega-3, açafrão/curcuma juntamente com a pimenta preta, gengibre, cominho preto, clorela, spirulina e erva-trigo.
 
E os que potenciam mais o aparecimento da doença?
 
Os lacticínios com ou sem lactose, principalmente de vaca porque têm muitas hormonas de crescimento que promovem o crescimento das células cancerígenas (que tendencialmente todos nós mesmo que não tenhamos um cancro as produzimos) entre outros motivos que são também promotores de inflamação, ambiente propício ao desenvolvimento do cancro. As carnes, sobretudo processadas – fiambres (mesmo o de aves!), chouriços e etc., pois têm na sua constituição componentes diretamente cancerígenos. E todos os alimentos provenientes de uma agricultura massiva e que faz uso de pesticidas e herbicidas em grandes doses.  
 
Quais são os maiores erros que cometemos na alimentação, na prevenção do cancro?
Diria que abusamos muito de tudo o que dá muito prazer! Farinhas brancas, açúcares brancos, carnes, poucos ou nenhuns legumes no prato e o consumo de álcool em excesso. Que apesar do vinho tinto (mas apenas este!) ter benefícios, pois possui o resveratrol, tem também álcool que não favorece o fígado.
 
Se recomendasse uma receita essencial para comer/beber todos os dias qual seria?
 
Começar o dia com um copo de água morna com umas gotas de limão, uma colher de café de clorela, outra de spirulina, uma pitada de gengibre em pó, outra de pitada de açafrão/curcuma em pó, pimenta preta, agitar bem e já está!
 
Há um capítulo no livro dedicado ao tratamento dos efeitos secundários da quimioterapia, radioterapia e cirurgia. Quais são os melhores conselhos para atenuar os efeitos, seja para qualquer um destes tipos de tratamento?
 
Qualquer um destes procedimentos - quimioterapia, radioterapia ou cirurgia - tem efeitos secundários envolvidos muito diferentes. Começando pela cirurgia, correndo tudo bem é uma questão de tempo até os tecidos recuperarem, muita água e uma boa alimentação irão ajudar. Na radioterapia, como os tecidos são queimados, além da hidratação e de uma boa alimentação a homeopatia já deverá ser uma das medidas, uma vez que existem medicamentos homeopáticos capazes de melhorar a saúde da pele e das mucosas, o óleo de rosa mosqueta é também muito regenerador da pele. Na quimioterapia, o fígado e a imunidade ficam altamente comprometidos e como precisamos ao máximo destes para resolver esta doença, toda a terapêutica e plano alimentar devem estar em torno de uma boa saúde deste órgão e sistema.
 
Qual o peso da importância do equilíbrio emocional em todo o processo de cura?
 
Imperativo! Aconselho sempre os meus pacientes a fazerem psicoterapia. Não só para passarem da melhor forma possível por este momento mas também para encontrarem quais as possíveis causas emocionas que levaram o organismo a adoecer de cancro.
 
As gerações de hoje estão mais educadas para prevenir a doença do que as de há 50 anos? Ou caminhamos para uma desinformação maior?
 
Parece-me que hoje em dia, talvez pelo número crescente de novos casos, pela informação disponível, existe uma maior consciência e vontade das pessoas em geral por uma vida mais saudável e igualmente por um planeta mais preservado também.
 
Fast Food, Fast Life, Fast Cancer, de Cátia Antunes, está à venda nas livrarias portuguesas por €16,60 (Chá das Cinco)
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!