Beleza / Tendências

5 erros de maquilhagem que envelhecem

Quando mal utilizada, a maquilhagem pode-se revelar a nossa pior inimiga, conferindo-nos um ar mais carregado do que ligeiro. Eis o que não fazer.

Kaia Gerber no backstage do desfile outono/inverno 2018/19 de Max Mara, na semana da Moda de Milão
Kaia Gerber no backstage do desfile outono/inverno 2018/19 de Max Mara, na semana da Moda de Milão Foto: Getty Images
12 de novembro de 2021 Ana Damião

"À medida que envelhecemos, o nosso rosto altera-se a vários níveis, tanto ao nível da qualidade da pele como também da gordura que está por baixo desta", começa por nos explicar Miguel Stapleton, maquilhador profissional, quando lhe lançamos o tema. 

Isto porque "a pele perde colagénio e, portanto, perde também a sua elasticidade, tornando-se mais facilmente enrugada, o que lhe pode dar um aspeto mais seco e frágil. A gordura, por outro lado, "mantém os músculos da face numa determinada posição" dando-lhe um aspeto preenchido. Como tal, o primeiro local onde "envelhecemos" é na zona lateral do rosto. "As têmporas ficam com um ar mais côncavo, a pele da mandíbula fica mais flácida e a dos olhos mais descaída."

Bronzer escuro e blush dos anos 80

Desfile Ready to Wear Spring/Summer 1996, de Christian Lacroix
Desfile Ready to Wear Spring/Summer 1996, de Christian Lacroix Foto: Getty Images

A primeira tendência a evitar é um blush carregado. "Sugiro que a utilização de cores mais escuras seja evitada perto da linha do cabelo e das orelhas, tal como a utilização mais escultural de blush", esclarece Stapleton.

Em alternativa, o especialista sugere "um bronzer colocado ligeiramente mais próximo do centro do rosto, que desvaneça antes de chegar ao nariz e também antes de chegar à orelha" para dar "a ilusão de que a musculatura que poderá ter perdido o tónus com o passar do tempo afinal está lá em cima novamente!".

Quanto ao blush, o segredo está em colocá-lo acima das maçãs do rosto, uma técnica bastante popular entre as coreanas.

Má colocação do corretor

O corretor, para além de ser usado para disfarçar imperfeições, também é um ótimo iluminador. Porém, a iluminação "deve ser feita com medida, tendo o cuidado de não a levar para muito perto do olho, pois este efeito pode dar o aspeto de olhos pequenos e pálpebras inchadas".

Pó em excesso

Kylie Jenner na festa do DailyMail.com em Cannes, 2015
Kylie Jenner na festa do DailyMail.com em Cannes, 2015 Foto: Getty Images

Por ser tão sensível, a zona "em torno dos olhos deve ser maquilhada com muito pouco pó e produtos bastante fluídos, de forma a não carregar a pele frágil desta região com texturas pesadas", avisa o maquilhador.

Olhos carregados

Victoria Beckham na 18º festa anual da Elton John AIDS Foundation, 2010
Victoria Beckham na 18º festa anual da Elton John AIDS Foundation, 2010 Foto: Getty Images

Com a idade, a pele das pálpebras torna-se mais flácida, dificultando uma maquilhagem clean. Por isso, é importante que a acentuação do olho seja evitada na parte interna, perto do nariz, "uma vez que esta zona já tem tendência a ser bastante côncava".

Em vez disso, o foco deve estar nas pestanas e na linha das pestanas, dando preferência a eyeliners esbatidos em detrimento de produtos em gel ou líquidos. "O côncavo, quando marcado, poderá ficar mais bonito apenas no canto externo do olho, ao invés de o estender até ao canto interno".

Para a linha de água inferior, deve-se optar por um risco preto ou castanho. "Há que notar que com o avançar da idade, alguns olhos podem tornar-se mais descaídos, tornando-se mais visível este bordo palpebral cor de rosa" e ao colocarmos uma cor escura na waterline criamos a ilusão de um olho mais focado e desperto.

Saiba mais
maquilhagem, erros, tendências a evitar, Miguel Stapleton, maquilhador profissional, maquilhagem que nos envelhece, cosmética
As Mais Lidas