Rosto&Corpo

Como saber se está na hora de substituir o protetor solar

Com as temperaturas a subir ficamos tentados a apanhar mais sol. Mas será que ainda podemos usar o frasco de protetor guardado no armário desde o verão passado?
Por Camila Lamartine, 11.05.2019

O calor está a chegar e incentiva as visitas à praia cada vez mais frequentes. Sabemos que a proteção solar deve ser uma preocupação diária, associada à nossa rotina de beleza, mas o que fazer na hora de recuperar os produtos solares do ano passado? Este cosmético, muito associado aos dias mais quentes de sol, acaba muitas vezes por ficar esquecido na gaveta. O que nem todos sabem é que os solares têm prazo de validade e, dependendo da forma de utilização e armazenamento, este tempo pode ser ainda mais reduzido.

Os filtros solares podem ser de dois tipos: químicos ou minerais. Os químicos contêm ingredientes como oxibenzona, avobenzona e homosalato, podendo oxidar, o que os torna menos eficazes. Já os minerais, compostos por óxido de zinco ou dióxido de titânio, apesar de não oxidarem, degradam-se. É o que explica o farmacêutico Perry Romanowski à revista Allure: "Quando está fora de validade, não se pode esperar que o produto atinja a classificação FPS indicada no recipiente."

Mesmo que o fator de proteção solar esteja ainda activo, mudanças na sua fórmula ao longo do tempo podem torná-lo ineficaz e até trazer problemas para a pele. A dermatologista Erin Gilbert explica que a maioria destes cosméticos são projetados para durar três anos, mas o manuseio do frasco com as mãos sujas, ou ainda a sua acomodação em locais não apropriados podem fazer com que surjam bactérias no produto. "Se ele foi exposto ao calor, deve substituí-lo em poucos meses, apenas para ter acerteza de que ainda é eficaz", disse à Allure.

À mesma publicação, a dermatologista Shari Marchbein compara a validade do protector solar com a de um alimento. "O filtro solar expira e nunca deve ser usado após a data de validade. Como a comida, o protetor pode estragar e torna-se menos eficaz, o que significa um aumento no potencial de queimaduras solares, danos causados ??pelo sol, manchas castanhas e o risco de desenvolvimento de cancro de pele", alerta a médica.

O segredo é utilizar o produto diariamente, reaplicar a cada duas horas, como enfatiza Gilbert, e escolher o FPS ideal para cada tipo de pele. Por exemplo, se a pele demora cinco minutos para queimar quando está desprotegida, com um FPS 10 levará 50 minutos. "Se usar protetor solar generosa e apropriadamente, uma garrafa certamente não durará muito tempo", finaliza Marchbein.

 

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!