Perfumes

A história do perfume que Givenchy fez para Audrey

Em 1957 Hubert de Givenchy selou a sua amizade com Audrey Hepburn com um perfume criado só para ela. Em 2018, um ano especialmente importante para a casa, este perfume salta dos cofres da marca para a rua com o lançamento de L’Interdit.
Por Carolina Carvalho, 13.12.2018

Hubert de Givenchy sabia que tinha um compromisso marcado com Madame Hepburn. Esperava ver entrar pelo seu atelier, em Paris, a diva Katharine, mas, em vez dela, surgiu a jovem Audrey. Decorria o ano de 1953 e, embora o criador de moda se tivesse lançado em nome próprio apenas no ano anterior, com 26 anos, já era reconhecido e respeitado neste exclusivo meio. Audrey Hepburn, por seu lado, com 24 anos tinha apenas feito um filme, Roman Holiday (1953), que não tinha estado em exibição em França e, por isso, ainda não era um rosto conhecido por lá. Deste encontro nasceu uma amizade para sempre e quando, em 1957, Givenchy quis oferecer um presente especial a Audrey, fez-lhe um perfume. Uma fragrância única que cativou as poucas pessoas que tiveram oportunidade de a cheirar. O irmão de Givenchy (que viria a ser o responsável pelos perfumes da marca) viu nele uma oportunidade de mercado, mas quando o criador falou a Audrey na possibilidade de comercializar o perfume ela respondeu-lhe, com um grande sorriso: "Je vous l’interdis!"

 

E assim ficou escolhido o nome do perfume que agora chega ao público. O novo L’Interdit é um regresso às origens, uma homenagem à fragrância  de 1957 e um novo desafio que explora o lado chocante do chique. Este eau de parfum é um jogo de contrastes entre flor de laranjeira, jasmim e nardo, com tons terrestes escuros de vetiver e patchouli. O trio de perfumistas responsável por esta fragrância – Dominique Ropion, Anne Flipo e Fanny Bal – explica que "a parte da herança é esta mistura de bouquets de flores, que está nos perfumes Givenchy há muito tempo. O que traz a modernidade é a forma como fizemos a fragrância. A parte amadeirada vem também nas fragrâncias masculinas". O frasco inspira-se no antigo, com uma forma clássica em linhas curvas, e vai estar disponível em três tamanhos (35 ml, 50 ml e 80 ml).

 

A maison Givenchy está a viver uma fase de mudança. A criadora Clare Waight Keller assumiu a direção criativa em 2017 (a primeira mulher a ter esta posição na marca) e o facto de ter criado o vestido de noiva de Meghan Markle em maio deste ano deu à marca francesa uma atenção renovada. É com este novo fôlego que a Givenchy decide recuperar um momento especial da sua história e lançar o perfume L’Interdit. A Máxima foi a Paris conhecer esta nova fragrância, em exclusivo para Portugal, e falou com Eloy Martinez de la Pera Celada. Formado em Política Internacional e Direito, é também colecionador de arte e conheceu Givenchy em 2009, quando ambos organizaram uma exposição sobre Balenciaga, criador de moda espanhol e mentor de Hubert de Givenchy. Eloy tem sido responsável pelas exposições sobre a obra de Givenchy desde então e, como amigo pessoal do criador, ficou encarregado de apresentar o perfume L’Interdit e partilhar a história por trás do mesmo. "A mudança começou, acho, há vários anos. A marca decidiu encontrar novas direções, não só pelos produtos, mas pela sua história. Perceberam que tinham uma marca única." Hubert de Givenchy morreu no passado mês de março, aos 91 anos, mas quatro semanas antes deu a sua bênção a este projecto. E Audrey teria aprovado o novo perfume? "Sim. Mesmo que o cheiro do perfume seja diferente, os valores por trás dele são os mesmos", confirmou Eloy Martinez de la Pera Celada.

A actriz Rooney Mara é o rosto do perfume. A campanha publicitária foi fotografada por David Sims e tem como cenário uma estação de metro onde a protagonista usa um vestido de Alta-Costura, criado especialmente por Clare Waight Keller, continuando o jogo de contrastes da fragrância. "Por trás do vestido que a Rooney usa estão mais de três meses de trabalho", conta Eloy Martinez de la Pera Celada. "Nos anos 60 um desfile de Alta-Costura tinha mais de 200 looks, hoje tem 36. Os clientes de Alta-Costura nos anos 60 eram mais de 10 mil, agora são 300." Por isso, Eloy recorda a importância da história deste perfume e da sua ligação à moda: "Não há outra casa que tenha colocado a Alta-Costura na casa de milhões de pessoas por causa dos filmes de Audrey Hepburn. Essa herança não existe em outra marca." E agora ela já não está interdita.

Hubert de Givenchy e Audrey Hepburn no Museu Galliera, em Paris, em Outubro de 1991.
© Getty Images
L'Interdit, eau de parfum, 50ml, €94,50, Givenchy.
A atriz Rooney Mara é o rosto do perfume L'Interdit, de Givenchy.
A atriz Rooney Mara é o rosto do perfume L'Interdit, de Givenchy.
O criador Hubert de Givenchy a trabalhar.
O criador Hubert de Givenchy.
Hubert de Givenchy e Audrey Hepburn no Museu Galliera, em Paris, em Outubro de 1991.
L'Interdit, eau de parfum, 50ml, €94,50, Givenchy.
A atriz Rooney Mara é o rosto do perfume L'Interdit, de Givenchy.
A atriz Rooney Mara é o rosto do perfume L'Interdit, de Givenchy.
O criador Hubert de Givenchy a trabalhar.
O criador Hubert de Givenchy.
Hubert de Givenchy e Audrey Hepburn no Museu Galliera, em Paris, em Outubro de 1991.
A história do perfume que Givenchy fez para Audrey
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!