Beleza

Notas de paixão

Com a criação de Opium, o mundo da beleza e da moda sobressaltou-se.
Por Máxima, 27.03.2012
Yves Saint Laurent, o mestre do esplendor
Em 1977, o esplendor barroco do Oriente invade as colecções couture de Yves Saint Laurent. O ouro e a extravagância predominavam, numa altura em que as mulheres aplaudiam a ousadia. Na época, a revista Time referiu-se a YSL como “O Rei da Moda”.

Tornava-se imperativo desenvolver uma fragrância que se conciliasse com o luxo das roupas do criador. O nome Opium partiu da imaginação criativa de YSL que declarou: “Vai ser o perfume da Imperatriz da China.” O visual foi inteiramente concebido no seu quarto oriental. Esta influência ficou imortalizada no frasco Inro. Evocando todo o mistério da laca chinesa, a pequena garrafa preciosa, em vidro esmaltado, raro nesse período, granjeou-lhe a designação de “Jóia escandalosa do século”.

Da transgressão à paixão
O perfume tornou-se rapidamente famoso graças à aura mística que envolvia o seu nome, o frasco e as colecções orientais. As vendas foram 15 vezes superiores ao previsto. Ninguém previa tal sucesso. A produção e a distribuição de Opium demoraram um ano a ser regularizadas. Os clientes pagavam adiantado para se assegurarem que teriam um perfume.

Foi neste contexto que a fragrância foi lançada nos Estados Unidos, em 1978. Paralelamente ao sucesso, Opium também foi alvo de fortes polémicas e investigações. Foi proibida nalguns pontos do globo, e a marca viu-se na contingência de declarar oficialmente que não tinha intenção de reproduzir o cheiro nem promover o ópio.

O lançamento realizou-se em Nova Iorque, no South Street SeaPort, a bordo de um barco oriental, tendo um número incrível de Vips comparecido ao evento. Também aqui o sucesso foi imediato e Opium tornou-se no melhor lançamento do ano com 3 milhões de dólares em vendas de Setembro de 1978 até Junho de 1979.

Em 1977, o perfume Opium é lançado em Paris.

As fragrâncias orientais estão de volta
Desaparecidos desde a II Guerra Mundial, os aromas orientais regressam à ordem do dia. De facto, uma investigação recente demonstrou que as fragrâncias mais sensuais e opulentas estavam de volta nas preferências dos consumidores. Havia obviamente lugar para fragrâncias orientais

Opium é um elixir de paixão, resultante de uma associação revolucionária de notas orientais, florais e picantes, que evocam emoções poderosas. Abre os sentidos com notas de tangerina e bergamota, que lentamente dão lugar à fusão do jasmim rico com a incandescência do cravo picante. Tudo sublimado pelos acordes quentes e excitantes da baunilha, do âmbar e do patchouli.

A reinvenção de Opium deve-se a Stefano Pilati, actual Director Artístico de YSL, que devolveu à Casa o elevado patamar de sucesso que o seu fundador outrora granjeara.
Tags: beleza; perfumes; yves saint laurent; opium
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!