Atual

Como ama cada signo?

O amor é a pimenta do dia-a-dia, o sal da vida, mas também o Tango onde trocamos os passos e tropeçamos. A astrologia pode ajudar a perceber de onde vem e para onde precisa de ir. Na astrologia Evolutiva a função relacional é vista no planeta Vénus que rege Touro e Balança, a casa 2 e a casa 7.

Foto: IMDB
13 de janeiro de 2022 Andrea Pereira

Quando falamos de amor, sabemos que relação que cada um tem consigo mesmo permite-lhe satisfazer algumas das suas necessidades de um ponto de vista autossuficiente. Já as necessidades que nos faltam temos tendência a procurar no outro. Nessa relação entre o que precisamos de nós e o que precisamos do outro, muitas vezes, surge a crise: como não projetar no outro a obrigação de saber à partida aquilo de que eu preciso e como aprender a comunicar essas vontades? Este é muitas vezes o tema dominante de Vénus e das nossas relações.

Na astrologia evolutiva, Touro representa a relação que temos connosco próprios e Balança represanta a relação que temos com o outro. Touro é o lado interno de Vénus e Balança o lado externo.

É também através de Vénus que vamos perceber a tendência que temos a projetar no outro o que necessitamos ou a de dar o que gostamos de receber em vez de estarmos atentas ao que o outro precisa.

Assim, no mapa astral, será através da casa e do signo onde Vénus se encontra que vamos perceber como amamos.

Carneiro ou 1ª casa: Está a descobrir quem é e do que precisa e daí alguma imaturidade na arte do amor. Narcísicos, sentem que são muito especiais e tendem a ter dificuldade a comprometerem-se numa relação, tendendo a manter uma parte de si isolada. Podem ser extremamente apaixonadas, mas se sentem que estão a perder a sua liberdade e independência podem afastar-se e ficar mais reservadas. Conseguem dar ao outro a sensação de serem incríveis. Gostam de pessoas que tenham uma personalidade forte, detestam estagnação. Podem ser muito egoístas. Precisam de aprender a escutar as necessidades do outro.

Touro ou 2ª casa: Os seus valores são o que têm de mais importante e para eles uma relação representa estrutura e segurança. Podem ter uma incrível capacidade de autossuficiência e de saberem o que é que precisam, por isso às vezes não notam que o parceiro ou parceira também tem as suas necessidades. Costumam ser muito fixos e enraizados, daí a sua conhecida teimosia, o que pode ser incomodativo para quem está ao seu lado. Procuram alguém com os mesmos valores, mas costumam atrair alguém que lhes desperta para o mundo. Querem manter e possuir e podem também atrair isso para si. Possuidores de um instinto sexual fortíssimo, precisam de autossexualidade e de aceitar essas suas necessidades. Devem aprender a considerar os valores do outro e perceber que há toda uma realidade que suporta esses valores.

Gémeos ou 3ª Casa: Querem explorar uma diversidade de valores e pode ter a tendência de dizer aos outros o que é melhor para eles. Podem ser pessoas que se adaptam às necessidades dos outros e por isso há uma dualidade natural neste arquétipo. Têm muita necessidade de conhecimento e têm um ininterrupto diálogo interno. São muito reativos. Podem ir a todo o tipo de cursos e ler todo o tipo de livros e depois sentem-se exaustos com tanta informação e estímulo. São muito abertos aos outros e amigáveis, principalmente se sentem que o outro lhes pode trazer conhecimento. Relacionam-se muito ao nível mental e gostam de levar este lado mental para a sexualidade. Devem aprender a intuição e aprender a escutar de forma mais profunda.

Caranguejo ou 4ª casa: São muito sensíveis. Os seus valores e carências são baseados no seu mundo emocional. As suas emoções mudam constantemente como as marés. Precisam de se ancorar à terra. Podem ser demasiadamente emocionais e projetar as suas necessidades de criança no parceiro como se eles fossem o pai ou a mãe. Precisam de amadurecer na arte de amar. São muito inseguros devido à sua natureza emocional e por serem tão inconstantes. Têm o desejo fundamental de ser protegidos. No entanto são muito empáticos para o parceiro e podem carinhosos e protetores. Também querem ser abraçados, protegidos.

A carregar o vídeo ...

Leão ou 5ª casa: Lembra-se daquela música do filme Romeu e Julieta? "Love me Love me, say that you love me" assim é o arquétipo de Leão. São capazes de dar muito no amor, mas podem fazê-lo de acordo com a sua perspetiva e precisam de ganhar a objetividade de perguntar ao outro do que é que precisa. Podem ser monogâmicos, mas se não se sentirem especiais no relacionamento podem não conseguir sê-lo. Se se sentirem bloqueados pelo parceiro podem ser frios e ter desdém pelo outro, desligando-se totalmente. Precisam de estar constantemente no ambiente de amor romântico. Dão muita importância à beleza física e ao trabalho do corpo.

Virgem ou 6ª casa: Nas relações podem sentir-se menos que perfeitos, muito críticos e atrair relações que não são assim tão afirmativas da sua personalidade e modo de ser. Devem aprender a perdoar-se, a ter autoestima e a perceber que a prática é o caminho para a evolução e assim poderão relaxar mais na arte de amar. Gostam de relações que lhe permitem dedicar-se ao autoconhecimento. Têm de ter cuidado para não colocarem as necessidades do outro em primeiro lugar pois são pessoas que naturalmente dão: amar é dar. Devem aprender a dar a si próprios, mesmo na relação com o outro, e a desenvolver autocompaixão. Na sexualidade tendem a dar ou a querer que o outro dê e também podem ser muito mentais.

Balança ou 7ª casa: Adoram relacionar-se e têm essa capacidade, mas perdem-se na sua maleabilidade e têm tendência a confundir-se com o parceiro, pois adaptam-se tanto que às tantas não sabe quem é. No amor, precisa de aprender a encontrar o seu centro. Gosta de dar e de escutar o outro e por isso os parceiros sentem-se mesmo escutados e amados. Precisam de perceber se a relação tem equilíbrio: estão a dar e a receber ou só a dar? Devem aprender a pedir aquilo que precisam e a comunicar a sua realidade. Devem ter cuidado para não se tornarem numa extensão do outro ou vice-versa, firmando o pé naquilo que são diferentes e sabendo que podem ser amados pela sua individualidade.

Escorpião ou 8ª casa: É o signo mais intenso no amor e pode até tornar-se obsessivo e compulsivo, está a aprender a ter segurança emocional e a não ser tão dependente do outro, de forma a não ficar encurralado nas suas emoções. Têm uma capacidade enorme de compreender o parceiro, de o observar até ao fundo da sua alma. Vão conhecer nas suas relações amorosas os seus medos e desejos mais profundos. Têm uma aura de mistério à sua volta e por isso podem causar desconforto no outro. Precisam de curar a sua falta de confiança no amor pois, têm muito medo da traição. Demoram até ganhar confiança, mas quando a ganham esta é inabalável. Se traídos na sua confiança podem ser muito frios e cortarem de uma forma cirúrgica a relação. Sexualmente oferecem intensidade e metamorfose.

Sagitário ou 9ª casa: Querem muito evoluir no seu autoconhecimento e procuram relações que os possam ajudar nessa descoberta. Tal como os outros signos de fogo precisa de muita liberdade para seguirem qualquer experiência que os ajude a descobrir quem são. Nas relações estão sempre a tentar equilibrar o sentido de compromisso com o de liberdade. Precisam de alguém que respeite e admire o seu espírito de aventura e gosto por viagens. Têm uma enorme capacidade de sentido de humor e adoram rir-se de si próprios com o parceiro. São espontâneos e aventureiros. Podem exagerar nas suas histórias e estão a aprender a ser verdadeiros sem necessidade de compensarem a sua verdade na relação com o outro.

Capricórnio ou 10ª casa: Amar é tomar responsabilidade e proteger. Precisam de aprender a descomprimir através do toque para reaprender a sentir o que necessitam. Podem suprimir as suas necessidades. Às vezes atraem relações amorosas com choque para conseguirem reaprender a entrar em contacto com o seu lado emocional. Através das relações estão a aprender a regressar aquilo que naturalmente são. Até lá podem-se perder ao querer ter controlo na relação e assegurar as necessidades do outro. O parceiro ou parceira pode sentir que o capricorniano é frio e distante. Para desbloquear: devem usar o toque não sexual.

Aquário ou 11ª casa: Procuram relações onde podem ter liberdade e onde podem explorar uma diversidade de valores e ideias, mas quando sentem que as suas necessidades não estão a ser respondidas, afinal podem não querer tanta liberdade assim. No entanto precisam de ter relações onde os seus valores são orientadores e onde há espaço para uma variedade de ideias e exploração da identidade. Porque têm uma enorme capacidade de objetividade conseguem mesmo perceber aquilo de que o parceiro precisa. Às vezes têm traumas profundos e precisam de espaço para a cura. Podem ser muito rebeldes e mentais.

Peixes ou 12ª casa: Estão à procura de Deus num parceiro e por isso acabam por ter o choque com a realidade. Têm uma enorme capacidade de se adaptar ao outro para que o outro o ache perfeito e por isso pode ter um medo secreto de que o outro veja a verdade. Precisa de aprender a ser mais realista, nenhum dos dois é perfeito, e assim aprender a lidar com a realidade. Devem aprender a mostrar quem são de forma autêntica, sem sentimento de culpa. Têm empatia com tudo e com todos. São muito românticos e gostam de criar ambientes para o amor, o copo de vinho e a refeição afrodisíaca. Adoram a poesia e os pormenores.

Saiba mais
Vénus, Balança, Love, Astrologia, Previsões, Amor, Signos, Astrologa
Leia também
As Mais Lidas