Viagens

Onde ir no Carnaval (e não só)

Estes são os lugares com os melhores carnavais do mundo, mas isso é apenas um pretexto para visitarmos cinco destinos com muito mais para dar.
Por Mafalda Sequeira Braga, 28.02.2017
1. Rio de Janeiro, Brasil
Foi a primeira paisagem cultural urbana a ser declarada Património Mundial da UNESCO, um reconhecimento que se prende com a peculiar relação entre cidade e natureza. Nesta altura do ano, o calor aperta e a boa disposição também.
O Carnaval Muitas outras cidades brasileiras destacam-se na organização de cortejos e festas, mas o Rio é o Rio e a tradição repete-se anualmente: centenas de escolas de samba desfilam no Sambódromo, uma enorme passerelle com bancadas laterais que se enche de brasileiros e de turistas vindos de todo o mundo.
Outra razão para ir Pode parecer um lugar comum mas, sendo um dos maiores cartões postais do país, é imperativo subir ao morro do Corcovado e visitar a estátua do Cristo Redentor. Nem que seja pela magnífica vista sobre a cidade. Para lá chegar apanha-se um comboio mas também é possível sobrevoar o Pão de Açúcar de elétrico.

2. Veneza, Itália
Construída sobre antigas vias fluviais, com as margens ocupadas por igrejas, palácios medievais e outros monumentos, é um lugar para esquecer a azáfama do trânsito (aqui não circulam carros) e caminhar sem medo por entre ruas estreitas até desembocar em praças amplas.
O Carnaval É um baile de máscaras a céu aberto que dura mais de 10 dias. Por todo o lado se vêem chapéus de três pontas e elaborados vestidos de gala. Os disfarces, que nunca revelam a identidade dos participantes, serviam como pretexto para que os nobres da cidade pudessem festejar com a plebe sem serem reconhecidos.
Outra razão para ir Passear de gôndola pelos canais. É talvez a melhor (e a mais romântica) forma de conhecer a cidade e os seus edifícios históricos. A trajeto maior passa pelo Grande Canal, a principal via, e custa perto de €180 por passeio.

3. Nova Orleães, EUA
Carinhosamente tratada por Nola, respira multiculturalidade, com influências espanholas, francesas, inglesas e africanas nas construções, na gastronomia e nas gentes que a povoam. Em 2018, a cidade faz 300 anos e a celebração trará algumas novidades.
O Carnaval Conhecido como Mardi Gras ou Terça-Feira Gorda, veste-se com as cores verde, dourado e roxo, que simbolizam fé, poder e justiça, respetivamente. A maior particularidade desta festa está nos enormes e coloridos colares de contas, usados propositadamente em excesso à volta do pescoço.
Outra razão para ir Nova Orleães também é conhecida como a cidade do jazz, respirando música a cada esquina. Por isso não deixe de entrar num dos seus muitos clubes (Irvin Mayfield’s Jazz Playhouse é um dos mais conhecidos e fica no Royal Sonesta Hotel).

4. Nice, França
A par com Saint-Tropez, Cannes e o Mónaco, é um dos lugares mais emblemáticos da Côte d’Azur e símbolo da art de vivre mediterrânica, tendo inspirado artistas como Chagall e Matisse. Tem cerca de 300 dias de sol por ano e praias de água limpa e translúcida.
O Carnaval É das poucas cidades francesas que assinalam a efeméride.O ponto alto é a Batalha das Flores, ondedo alto dos carros alegóricos, se lançam milhares de flores sobre o público que assiste ao desfile na famosa Promenade des Anglais. Este ano o tema é o Rei da Energia, representado em diferentes formas: elétrica, solar, hidráulica e também humana.
Outra razão para ir Percorrer a Cidade Velha, centro histórico queabriga a maior parte dos restaurantes, mercados ao ar livre e lojas de lembranças e produtos típicos da região. Reflete o estilo arquitetónico da Sardenha, ao mesmo tempo que dá a conhecer um património religioso marcadamente barroco.

5. Madeira, Portugal
Se não quiser ir para muito longe e preferir ficar em território nacional, viaje pelo menos até à ilha de Cristiano Ronaldo. Esta Pérola do Atlântico, como lhe chamam, esconde incontáveis tesouros paisagísticos, incluindo praias, montanhas, penhascos, miradouros e piscinas naturais.
O Carnaval Apesar do frio, milhares de pessoas saem à rua para ver os desfiles com bonecos cabeçudos e disfarces que satirizam a vida política e social do país. O mais conhecido é o Cortejo Trapalhão, realizado à terça-feira, no encerramento das celebrações oficiais. O tema deste ano é o Reino da Fantasia.
Outra razão para ir Andar num dos transportes mais típicos, os carros de cesto. Produzidos artesanalmente com vimes e madeira, são conduzidos por dois carreiros que utilizam as solas de borracha das suas botas para travar. A descida vertiginosa faz-se ao longo de dois quilómetros, entre o Monte e o Livramento (cerca de €15 por pessoa).


Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!