Livros

Yoga-me, o segredo do bem-estar

"Yoga-me: A Arte de Abrir o Coração" é uma aventura de Filipa Veiga na escrita com contornos reais. Falámos com a yoga girl para saber mais sobre o livro.
Por Máxima, 21.09.2016
Apaixonada pela prática, Filipa Veiga quis por em palavras aquilo que sente ao fazer yoga, e contar como isso beneficia a sua felicidade e da que os rodeiam. Quisémos saber mais sobre a sua primeira aventura literária no mundo das histórias 'do bem'.

Há muito tempo que trata o yoga por "tu", certo? Qual foi a inspiração para por esta prática em palavras?
Comecei a praticar depois de muitos anos de dança, tinha 27 anos quando experimentei as minhas primeiras aulas de yoga. O yoga só se percebe depois de algum tempo de prática, costumo dizer aos meus alunos, dêem-se 2 anos de prática para entrarem mas só depois de 5 de facto se começa a perceber a profundidade do trabalho que fazemos. Nessa altura, muito me sondaram para ter um blog ou escrever em blogs mas eu não encontrei propósito. Foi quando estava em Bali que fez sentido, um blog de yoga e nasceu yoga-me. A partir daí nunca mais parei, o livro é o resultado do blog. 
As pessoas querem ser inspiradas e ensinadas sobre o que fazer, como começar uma prática de yoga, o que acontece quando se pratica… o blog é um misto, pessoal e ensino também. Tem sido das experiências mais lindas - ser "jornalista", reportar sobre o mundo em que acredito. 

Este livro é fruto de vivências pessoais ao longo dos capítulos. Há alguma em particular que queira contar-nos, para já?
 
Há muitas experiências lindas, pessoas que conhecemos neste trajeto muito inspiradoras. Talvez este seja um dos pontos que mais amo neste caminho é que começamos a atrair pessoas que estão na mesma linga de vida que eu, que percebemos só pelo olhar que é um de nós. 
Outra coisa é que nos torna corajosos para fazer as mudanças de vida que queremos, que desejamos, que acreditamos. Não é um contrato de trabalho que me faz feliz, não é poder pagar as contas que me faz completa, claro é importante mas mais que isso é fazer o que me vem do coração, como a mudança de vida quando fui para Bali!  


De que forma Bali e Índia se tornaram tão ligados ao yoga?

A Índia é a terra mãe do yoga, Krisnamacharya considerado o pai do yoga moderno, disse que o yoga é o meu presente da Índia para o mundo! acho que fica tudo dito. 
Os indianos dizem já estão noutra dimensão porque já praticaram yoga noutras vidas, nós no ocidente a prática regular é muito importante para começar este caminho que é de abrir a nós e ao nosso potencial absoluto. são mundos em que se vive conectado com a natureza, o nosso calendário é o único não lunar… Os orientais vivem o lado espiritual de uma forma resolvida e absoluta - é uma dimensão de nós que aqui achamos e teorizamos.. para esquecermos o essencial.. que somos seres espirituais. 
Os balineses têm uma conexão muito forte, fazem cerimónias quase todos os dias - é uma maneira de viver conectada com o cosmos, o universo, deus. é muito inspirador e é o caminho para a felicidade. E yoga é isso, é união entre corpo e espírito, entendermos que a felicidade está em nós e que a vida é o reflexo do que dela fazemos. 
A Índia e Bali são daqueles lugares do mundo em que nós somos nós, vem ao de cima o melhor e o pior de nós, não podemos esconder o que somos e o que sentimos. E daí muita transformação acontece. 
 
De que forma é que o yoga pode tornar as pessoas mais felizes?
 
O yoga é um método para chegar ao absoluto, ao espírito, à liberdade. Quando praticamos os asanas (as posturas) estamos apenas a praticar um dos 8 passos do yoga para se chegar a este absoluto. Mas é o primeiro passo, o baby step que temos de fazer para abrir o corpo e a mente, limpar, equilibrar, energizar de forma a criarmos espaço para a transformação acontecer. O yoga torna-nos completos, compreendemos que tudo está dentro de nós, que nós somos os nossos pensamentos e que se os mudarmos para uma maneira de pensar mais clara e positiva isso reflecte-se na nossa vida de imediato. Todos somos seres únicos e descobrir o que aqui fazemos é sem dúvida o maior passo para a descoberta da felicidade e do amor pleno, o amor pelo divino.
 
Qual o melhor conselho para quem está a começar a prática?
Praticar, nunca desistir, afastar os pensamentos da mente que dizem "faço amanhã" - o nosso ego é muito forte e perceber que nós temos o controlo sobre ele é o passo mais difícil mas mais importante para que a prática não pare. Só com prática regular e disciplina conseguimos perceber o que a prática nos dá - uma limpeza diária constante do nosso corpo, mente e vida! O mais importante é o compromisso com a pratica!

O livro está à venda nas livrarias por €17,69 e é publicado pela editora nascente.
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!