Viagens

Safari chique

Com uma diversidade de animais selvagens difícil de igualar, o Botswana é, ainda, um segredo relativamente bem escondido de África. Da sua história de sucesso fazem parte safaris responsáveis e de alto nível, como os do acampamento de luxo Sanctuary Chief’s, em pleno delta do Okavango.
Por Mafalda Sequeira Braga, 26.12.2017

Tem sido considerado por muitos o melhor destino do mundo para fazer um safari. Localizado numa zona árida do interior da África meridional, o Botswana apresenta uma incomparável geografia contrastante, da qual fazem parte o deserto do Kalahari e as águas do delta do Okavango, com toda a variedade de fauna e flora que isso implica. Estas constituem, a par de outras zonas do país, áreas protegidas para a vida selvagem (perfazendo 40 por cento da totalidade do território). É ali que reside outro dos grandes atractivos da região – a preocupação para com a ecologia, a responsabilidade social e a conservação de espécies, visando um turismo que combina a alta experiência e o baixo impacto. A caça comercial foi banida, em 2014, e muitas concessões ou reservas privadas são alugadas pela comunidade, para a qual é direccionada parte dos lucros.

Os principais e mais luxuosos alojamentos do Botswana encontram-se naquele que é o maior delta interior do planeta. É o caso do Sanctuary Chief’s Camp, situado na Ilha do Chefe, na Concessão Mombo da Reserva Moremi, que protege um grupo de rinocerontes ameaçados de extinção, tornando-se um dos poucos lugares do país onde é possível avistar estes animais. Fazendo jus ao seu nome, é ainda um dos últimos santuários para cães selvagens, em extinção por quase todo o continente africano. Mas há muitas outras espécies para observar nas planícies aluviais e não é incomum ver leões, leopardos e hienas a caçar antílopes, zebras e búfalos. Em Junho, toda a área em redor do acampamento inunda e transforma o delta do Okavango num labirinto de lagoas e canais, onde hipopótamos se banham, demoradamente, e crocodilos espreitam por entre a vegetação. Nesta altura, a melhor forma de fazer um safari é através de mokoros, canoas típicas usadas pela tribo Bayei, mas as características únicas do local também permitem viver a experiência de jipe, a pé, a cavalo ou até de helicóptero, chegando a zonas inacessíveis por terra e por água.

Remodelado no ano passado, o Sanctuary Chief’s Camp melhorou as suas áreas públicas, através do prolongamento da sala de jantar, da renovação do bar e da biblioteca e da criação de um espaço dedicado a pizzas. Cada uma das suites, que estão entre as maiores da região (141 e 620 metros quadrados), possui um terraço externo com piscina e banheiras viradas para a planície. A maior inclui, ainda, veículo e guia privados, bem como os serviços de um chef e de uma governanta. Depois das primeiras actividades do dia, o acampamento propõe um almoço buffet servido por debaixo das árvores e, ao final da tarde, perante o incrível pôr-do-sol africano, um jantar composto por sopa de abóbora e nozes, impala grelhada com batata-doce e pudim de limão e maracujá. Os hóspedes podem solicitar uma massagem de pedras quentes no spa ou uma aula de yoga no ginásio, completando a verdadeira experiência safari chic.

 

A não perder

Parque Nacional de Chobe Fica no nordeste do país, junto às fronteiras da Namíbia, Zimbabué e Zâmbia, e possui uma das maiores concentrações de elefantes do mundo.

Colinas de Tsodilo Ficam no deserto de Kalahari e o maior dos seus picos chega a uma altura de 1400 metros. Tem uma das mais importantes colecções de arte rupestre do mundo; chamam-lhe o Louvre do Deserto.

Salinas de Makgadikgadi Pans É um dos maiores desertos de sal do mundo e a casa de milhares de flamingos.

Gaborone A capital do Botswana é uma cidade vibrante, com bons restaurantes, hotéis e pólos artísticos, como o Museu Nacional e o Monumento dos Três Chefes.

Cataratas Victoria Vale a pena sair do país para as visitar, até porque ficam perto – na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabué, a menos de 100 quilómetros do Botswana.

 

Como chegar e onde ficar

A Emirates viaja de Lisboa para o aeroporto de Maun (o mais próximo do acampamento) e vice-versa a partir de €1.112, com escalas. A tarifa para o Sanctuary Chief’s Camp começa nos €1.000 por noite, com descontos até 40% quanto maior for a estada. O valor inclui refeições e bebidas, actividades de safari e transfers.

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!