Viagens

Quando a natureza inspira a arquitetura: 11 lugares únicos

A natureza e todas as suas componentes são fonte de inspiração para todos os artistas e estão representadas em todas as formas de arte, desde a escultura à pintura e passando pela arquitetura. Estas construções são prova disso mesmo.
Por Margarida Ferreira, 27.09.2017

Por Natureza entende-se mundo físico e natural, ou seja, todos os tipos de seres vivos (plantas e animais), mas também os fenómenos da atmosfera, geologia e matérias da Terra, à exceção de tudo o que é construído pelo Homem. Foi sempre motivo de inspiração em todas as vertentes que a arte inclui, representada em pinturas, esculturas e poesia. Como se lê no poema de Alberto Caeiro, em O Guardador de Rebenhos:"A natureza é partes sem um todo. Isto é talvez o mistério de que falam."

A arquitetura não é exceção e desde as civilizações gregas e romanas que as formas da natureza têm inspirado algumas das construções mais bonitas do mundo. Escolhemos onze.  

Estádio Nacional de Pequim, Pequim O estádio nacional foi projetado para os Jogos Olímpicos de 2008, pela empresa suíça Herzog & de Meuron. À primeira vista, e como os próprios moradores frisaram, parece um ninho. A forma côncava e a estrutura em grade de aço, sobreposta numa membrana translúcida, assemelham-se aos ninhos feitos pelas aves. Desde os Jogos Olímpicos que o espaço é utilizado para concertos e outros eventos e receberá as Olimpíadas de inverno em 2022.

Templo de Lótus, Nova Deli Pensado pelo arquiteto Fariborz Sahba, este é um templo da fé Baha’í, criado em 1986. O edifício tem a forma da flor de lótus e é composto por 27 "pétalas" de mármore independentes. Os templos Bahá’í partilham alguns elementos em comum, como a forma circular de nove lados. O Templo de Lótus não é exceção e, por isso, tem forma circular e nove portas e acomoda até 2500 pessoas. Este é um dos monumentos mais visitados do mundo, superando os quatro milhões todos os anos.

Atomium, Bruxelas Construído para a Expo 58, o edifício é composto por nove esferas de aço interligadas, de cerca de 100 metros de altura. Os arquitetos André e Jean Polak imaginaram esta estrutura para representar a fé no progresso científico. No seu interior há um museu e espaços para várias exposições temporárias. O Atomium fica numa zona periférica da cidade, no bairro de Heysel, mas a sua altura e brilho são visíveis desde vários pontos da capital belga.

Sagrada Família, Barcelona A natureza foi a inspiração de Antoni Gaudí para o design desta igreja inacabada, que retrata a relação entre a humanidade, a natureza e a religião. Sustentada por pilares inspirados em troncos de árvores e as suas ramificações, e com 45 metros de altura, entrar na nave central é como entrar numa enorme floresta.

Helix Bridge, Singapura A ponte pedonal estende-se sobre a Marina Bay e liga o hotel e centro comercial Marina Bay Sands ao ArtScience Museum e ao Gardens by the Bay. A ponte é o resultado do trabalho de uma equipa internacional, a Architects 61, de Singapura, com a Cox Architecture, com sede na Austrália, que se inspiraram na estrutura espiral e tubular da molécula do ADN. A ponte de aço tem aproximadamente 280 metros de comprimento e foi inaugurada em 2010.

Eden Project, Cornualha O Eden Project foi projetado pelo britânico Nicholas Grimshaw e reúne uma coleção de espécies de plantas vindas de florestas tropicais e do Mediterrâneo. O próprio edifício, numa forma curvilínea, usa estruturas semiesféricas transparentes que foram inspiradas em bolhas de sabão. O centro educacional, ou seja, a parte central do edifício, imita o padrão espiral encontrado em muitos elementos naturais, como as pinhas, girassóis e carapaças de caracol.

Sede da Aldar, Abu  Dhabi O arranha-céus circular foi construído em 2010 em homenagem ao património marítimo da cidade. Construído pela MZ Architects, o edifício foi inspirado numa concha e desenvolvido em forma de diamante. Tem 23 andares e mais de 100 metros de altura.

Taipei 101, Taipei Como o nome indica, tem 101 andares e 1671 metros de altura. O arranha-céus foi o edifício mais alto do mundo quando construído. Projetada pelo arquiteto CY Lee, a obra é semelhante a um talo de bambu. É composto por oito segmentos, de oito andares cada um – o oito representa prosperidade e abundância nas culturas de língua chinesa.

The Cube Houses, Roterdão As formas são retas e angulares, mas foram inspiradas numa floresta. O arquiteto Piet Blom planeou esta pequena floresta dentro de uma cidade em 1977 e utilizou estes cubos amarelos ancorados em colunas hexagonais para representar as árvores.

30 St Mary Axe, Londres Conhecido também por Gherkin (pepino), foi projetado por Norman Foster no mesmo local onde esteve instalada a sede de uma empresa de construção naval destruída parcialmente por uma bomba lançada depois da reeleição de John Major como primeiro-ministro britânico, em 1992. O arranha-céus futurista tem 180 metros de altura e ganhou a alcunha de pepino devido ao seu formato.

Museu de Arte de Milwaukee, Michigan Santiago Calatrava é o arquiteto responsável por este teto solar – o Burke Brise Soleil – que abre e fecha como umas enormes asas. O arquiteto quis incorporar no edifício as qualidades urbanas da cidade, a cultura dos barcos à vela e a herança natural do Lago Michigan.

 

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!