Cinema&TV

Os 50 melhores vestidos de ‘The Crown’

A duas semanas da estreia da segunda temporada, vale a pena recordar os melhores momentos do guarda-roupa da primeira temporada e levantar o véu da próxima.
Por Ângela Mata, 24.11.2017

O responsável de figurinos de qualquer série de época tem o desafio enorme de conseguir captar o verdadeiro espírito de uma era. Michele Clapton (Temporada 1) e agora Jane Petrie (Temporada 2) da série The Crown sabem disso, sobretudo porque estão a retratar a família real mais conhecido do mundo.

Ainda assim, tendo em conta que não se trata de um documentário histórico, há uma certa liberdade artística na criação do guarda-roupa. Michele Clapton, que deixou The Crown para trabalhar em A Guerra dos Tronos, teve dez semanas para desenvolver grande parte das peças de roupa e fazer toda a pesquisa necessária para tal.

A personalidade de cada personagem é extremamente importante na escolha do seu guarda-roupa. "Eu quis que a Margarida fosse mais sofisticada e complicada, porque acredito que ela pensava realmente na imagem e isso era importante para ela. A rainha, penso que vestia as coisas porque era o que ela tinha de fazer. Penso muitas vezes nas suas peças de roupa como uniformes. Mesmo que fossem vestidos maravilhosos, eram coisas que ela tinha de vestir porque fazia parte do seu dever. Ela representava a Grã-Bretanha depois da guerra…’, refere Clapton numa entrevista à Harper’s Bazaar britânica.

As únicas peças que não puderam ser muito alteradas, e são praticamente réplicas das originais, são as joias. Devido ao facto de serem sobejamente reconhecidas, não houve autorização para que fossem alteradas e também não fazia muito sentido que o fossem.

Na primeira temporada, Michele Clapton criou 350 peças de guarda-roupa. De todas elas, a mais complicada foi o vestido de casamento da rainha. "Achei que seria bastante importante que fosse o mais parecido possível com o original. Toda aquela procissão com as damas de honor e o véu levou-me a pensar: ‘Se não fizermos como deve ser, então não temos o direito de fazer mais nada’", afirmou ainda Clapton.

Só para o vestido de casamento foram necessárias seis pessoas para trabalhar no véu, ao longo de seis ou sete semanas, uma a trabalhar só no corpete, que demorou três semanas, e mais algumas a trabalhar nos bordados do vestido.

A série da Netflix volta aos ecrãs a 8 de dezembro. 
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!