Atualidade

Este foi o escritor português que venceu o Prémio LeYa 2017

Os Loucos da Rua Mazur foi o romance que levou o júri do prémio LeYa a distinguir o escritor português.
Por Rita Silva Avelar, 20.10.2017

Em Os Loucos da Rua Mazur o escritor português João Pinto Coelho conta a história de um velho livreiro cego enquanto descreve, ao mesmo tempo, dois tempos históricos: o pós-II Guerra Mundial e a atualidade. "É um livro bem estruturado, bem escrito, que capta a atenção do leitor, quer pelo tema, quer pela construção em tempos paralelos, um no passado imediatamente anterior à II Guerra Mundial e no início desta, e o outro no mundo atual. Não cede ao facilitismo do romance histórico, embora a História seja parte da ação e nos apresente uma visão inédita da tragédia resultante das invasões russa e nazi da Polónia", podemos ler no comunicado à imprensa divulgado pela LeYa, que aponta a caracterização realista e humana da personagem principal como uma das razões que sustentam esta escolha. De acordo com o mesmo comunicado, o júri apreciou particularmente "as qualidades de efabulação e verosimilhança em episódios de violência brutal com motivações ideológico-políticas e étnico-religiosas, emergindo do fundo de uma convivência comunitária multissecular".

João Pinto Coelho nasceu em Londres em 1967, licenciou-se em Arquitetura em 1992 e viveu a maior parte da sua vida em Lisboa. Passou diversas temporadas nos Estados Unidos, onde chegou a trabalhar num teatro profissional perto de Nova Iorque. Foi finalista do Prémio LeYa em 2014 com o romance Perguntem a Sarah Gross, que veio a ser publicado pela Dom Quixote no ano seguinte.

O júri, constituído por Manuel Alegre, Nuno Júdice, Pepetela, José Castello, José Carlos Seabra Pereira, Lourenço do Rosário e Rita Chaves, também destacou O Testamento de José de Nazaré, de Ivan José de Azevedo Fontes. "O livro traz à cena um personagem obscuro na tradição cristã, pela sua própria voz. Apresenta um José trabalhador, insubmisso e solidário, dividido entre o seu inconformismo e o seu amor por Maria e pela família, entre a paz e a revolta. A simplicidade de linguagem traduz uma refinada estratégia no processo de construção narrativa."

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!