Atualidade

A violência no namoro é cada vez mais frequente entre os jovens casais

Por ocasião do Dia dos Namorados, foram divulgados os resultados de dois inquéritos e a nova campanha da APAV, que alertam para a gravidade de algumas situações que se vivem no namoro.
Por Andreia Rodrigues, 14.02.2018
Segundo um inquérito levado a cabo pela União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), cujos resultados foram divulgados hoje, mais de metade dos jovens num relacionamento amoroso já foi alvo de pelo menos um ato de violência. Proibir certas roupas, controlar o dia a dia do outro ou as pessoas com quem convive, entrar em redes sociais sem autorização do próprio são tudo exemplos de situações que devem ser travadas.

Para o estudo, foram inquiridos 4.600 jovens, em que a idade média são 15 anos. De um universo de 3.163 jovens, 56% (1.773) foram vítimas de violência no namoro, sendo que em 18% dos casos se tratou de violência psicológica, 16% de perseguições, 12% de violência através das redes sociais, 11% de situações de controlo, 7% de violência sexual e 6% de agressão física por parte de um(a) companheiro(a). Nas redes sociais, por exemplo, o comportamento violento mais frequente é entrar no Facebook ou noutra rede social sem autorização da vítima (20%). A UMAR considera os resultados "preocupantes", já que 68,5% dos jovens considera natural um comportamento violento nas relações.

O Observatório da Violência no Namoro também revelou hoje que, desde abril de 2017, recebeu 128 denúncias (34 já em 2018). A média das vítimas é de 24 anos e 90,6% das denúncias correspondem a violência psicológica.
Por ocasião do Dia dos Namorados, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) apresenta uma campanha de sensibilização sobre violência no namoro. A campanha é dirigida ao público jovem, tendo por isso enfoque nas novas tecnologias, com a mensagem "Dá o clique, fala com a APAV". A campanha foi desenvolvida por Afonso Ferreira, Mário Almeida, Wagner Godoy, Miguel Martins e Carlos Fabrísio Barroso, alunos do curso de Relações Públicas e Publicidade do INP-Instituto Superior Novas Profissões.

Quem procura o apoio da APAV pode contactar através da Linha de Apoio à Vítima (116 006, chamada gratuita), Messenger (Facebook), videochamada (user Skype: apav_lav) e através da rede nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima.
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!