Artes

Roteiro: pistas culturais para (re)descobrir a cidade

Artes, fotografia, música, cinema. Lisboa está cada vez mais curiosa e com vontade de abrir os seus horizontes ao mundo, descobrimos o que de mais interessante está a acontecer agora.
Por Carlota Morais Pires, 27.10.2017

Cinema: de volta ao príncipio com os irmãos Lumière

Thierry Frémaux, diretor do Instituto Lumière e do festival de cinema de Cannes, quis voltar às origens do cinema e recuperar a obra dos irmãos Auguste e Louis Lumière, os primeiros a projectar pequenas narrativas num ecrã. Lumière! acaba de estrear nas salas de cinema portuguesas e reúne uma sequência de 114 curtos filmes criados pelos cineastas entre 1895 e 1905 – assinala o nascimento do cinema. "Os filmes dos irmãos Lumière são tão desconhecidos, mas tão cheios de informação sobre o que somos, que era isso que queríamos fazer com o filme", avança Thierry Frémaux. É um filme criado a partir de fragmentos de outros filmes, incluindo algumas das mais importantes imagens do início do cinema, como A Saída da Fábrica Lumière em Lyon, o primeiro filme da história do cinema. A obra é completada com comentários de Thierry Frémaux.

 

Encontros imediatos

Passaram-se 40 anos desde a estreia de Encontros Imediatos de Terceiro Grau, o filme que consagrou Steven Spielberg como "um dos nomes decisivos da nova geração de cineastas americanos". Agora, para comemorar o aniversário do lançamento da obra de ficção científica, vai ser reproduzida no Grande Auditório do CCB, numa parceria com a Midas Filmes, uma versão restaurada em HD do filme, numa sessão de cinema exclusiva que acontece no próximo feríado, dia 1 de novembro, às 16 horas.

 

Género na arte: corpo, sexualidade, identidade e resistência

Acaba de inaugurar no Museu Nacional de Arte Antiga e Contemporânea, em Lisboa, uma exposição que explora o género na arte. Com curadoria de Aida Rechena e Teresa Furtado, a mostra Género na Arte: Corpo, Sexualidade, Identidade e Resistência quer desfazer estereótipos relativamente à compreensão do género e traz para o museu a reflexão e o debate a partir de um conjunto de obras de artistas portugueses. Entre as obras descobrimos peças de Alice Geirinhas, Ana Pérez-Quiroga, Ana Vidigal, Carla Cruz, Cláudia Varejão, Gabriel Abrantes, Horácio Frutuoso, João Gabriel, João Galrão, João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, Maria Lusitano, Miguel Bonneville, Thomas Mendonça e Vasco Araújo.

A exposição vai estar patente no MNAC até março de 2018.

 

Arte de Zagreb em Lisboa

No próximo dia 3 de novembro estreiam em Lisboa duas exposições sobre Zagreb, no Museu Nacional do Coches. Patentes até 3 de dezembro, as mostram reúnem trabalhos do pintor croata Vatroslav Kuliš e das fotógrafas Marija Braut e Slavka Pavic. As obras vão poder ser vistas na Galeria 2 (núcleo de pintura) e na Sala do Jardim de Belém (núcleo de fotografia) do novo edifício dos Coches.

 

Festival das artes performativas acontece em Lagos e Faro

Há uma boa razão para passar o fim-de-semana a Sul. O festival de artes performativas Verão Azul volta a acontecer no Algarve, reunindo uma interessante programação nas áreas das artes performativas, artes visuais, cinema e mu´sica.Desde 2010 que o festival quer contribuir para a descentralização da difusão da arte contemporânea e, agora na sua 8ª edição, traz a Lagos e Faro obras de carácter experimental de artistas consagrados mas também de novos talentos emergentes. Destaque também para os espectáculos de dança de Vera Mantero, Francisco Camacho ou João Fiadeiro.

Hoje às 21h30 sobe ao palco do Teatro das Figuras, em Faro, a peça António e Cleópatra, com texto e encenação de Tiago Rodrigues. Amanhã às 18 horas acontece a imperdível performance sonora Plethora, pensada e concretizada por Jonathan Uliel Saldanha, que tem explorado o eco, o som, o poder da voz e do espaço nos seus espetáculos.

 

Grada Kilomba no MAAT

Estreia hoje no MAAT a exposição Secrets to Tell, um projeto com curadoria de Inês Grosso, que reúne obras da artista Grada Kilomba. Pensada a partir de uma videoinstalação intitulada The Desire Project (uma obra especialmente concebida para a 32ª Bienal de São Paulo no ano passado), esta é a primeira mostra individual a inaugurar o espaço do Project Room do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia.

O vídeo The Desire Project divide-se em três atos, como uma peça de teatro - While I Walk, While I Speak and While I Write (em português Enquanto Caminho, Enquanto Falo e Enquanto Escrevo). A narrativa surge como uma sequência cadenciada de frases e palavras que exploram série de questões vinculadas a representações da história e da descolonização do pensamento na contemporaneidade.

A exposição conta ainda com a leitura encenada do livro de Kilomba, Plantation Memories, agora numa nova versão, mais inesperada e curiosa, exibida em quatro ecrãs.  "Para mim, que vivi alguns anos no Brasil e que conheci tão de perto a sociedade brasileira, que ainda hoje luta para digerir as consequências do processo de colonização e pós-colonização, mostrar The Desire Project em Portugal - e pela primeira vez no continente europeu - tão profundamente marcado pelo legado do colonialismo, representa um momento muito especial a nível pessoal e profissional. Este trabalho, que vi pela primeira vez na Bienal de São Paulo de 2016, fez-me pensar no quão curta é a distância temporal e histórica entre nós e o nosso passado colonial. E de como ainda estamos tão agarrados ao que sobra do edifício do colonialismo e do imperialismo ocidental...Daí a urgência e importância de se debater estas temáticas", diz Inês Grosso, a curadora desta mostra.

Patente no MAAT até 4 de março do próximo ano.

 

ZDB traz Shabazz Palaces ao Lux

A Galeria Zé dos Bois diz que é "num universo paralelo que precisamos de nos sintonizar para apanharmos o sinal que os Shabazz Palaces de Ishmael Butler". Por isso, quiseram trazê-los ao Lux, para tocar na noite de 31 de outubro, em que também apresentam os seus dois novos álbuns Quazarz: Born on a Gangster Star e Quazarz vs. The Jealous Machines. Em Santa Apolónia vão mostrar a sua perspetiva instrumental da América, que une o hip hop a um "turbilhão psicadélico de imagens, palavras e sons que reclamam um novo espaço".

Os bilhetes para o concerto já estão disponíveis por 15 euros, aqui.

 

 

 

 

 

 

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!