Especiais

Recordar a ModaLisboa com Eduarda Abbondanza

No dia do arranque da 49.ª edição da ModaLisboa, falamos com o principal rosto por detrás do maior evento de moda da capital portuguesa.
Por Ângela Mata, 09.03.2017

Arranca hoje a edição Boundless da ModaLisboa, este ano com uma grande novidade: a localização. Depois de já ter passado por inúmeros espaços ao longo dos anos, e de ter estado 13 edições no Páteo da Galé, 12 delas consecutivas, desta vez a escolha recaiu no Centro Cultural de Belém. Os desfiles vão decorrer na Garagem Sul, à exceção dos de Ricardo Andrez e Kolovrat, que irão acontecer no Museu Berardo.

Em conversa com Eduarda Abbondanza, fundadora da ModaLisboa, destacamos alguns dos momentos fulcrais do evento desde o seu arranque, em 1991.

Um momento que tenha marcado a nível de organização do evento?

São quase 50 edições… é uma vida. Tanta coisa aconteceu. Quando começámos, em 1991, não havia ensino de moda em Portugal, a palavra design não existia. Existia apenas uma agência de modelos, a Central Models, e uma revista, a Marie Claire. Foi uma escola, onde tivemos muito que ensinar, mas ao mesmo tempo muito que aprender.

Só em 1993 criámos oficialmente a associação e passámos a ter escritório permanente. A partir daí fomos criando a equipa e desbravando terreno. Uma das coisas mais complicadas e que a maioria das pessoas desconhece é a luta que tivemos de ter para provar lá fora que fazia sentido também Portugal ter a sua semana da moda. A própria imprensa internacional não percebia porque não íamos nós lá… Foi um trabalho enorme para conseguir chegar até aqui.

Outro dos momentos complicados que talvez possa destacar foi quando um Presidente da Câmara de Lisboa decidiu, à última hora, não apoiar a ModaLisboa, sem que qualquer justificação tenha vindo a público. Mas nós demos a volta e fomos para Cascais.

Houve algum espaço que a tivesse marcado por alguma razão específica?

Foram tantos… e quase todos eles nos deixam boas memórias. Mas talvez destacasse o Mercado da Ribeira. Foi qualquer coisa de muito particular. Ninguém acreditava que fosse possível, sobretudo fazê-lo no contexto em que o fizemos. Imaginar desfiles de moda no meio das bancas de frutos e legumes era algo impensável. Nunca tinha sido feito lá fora, muito menos cá em Portugal. O próprio catering foi fornecido pelo mercado, as flores foram compradas lá… Nós vimos o entusiasmo dos próprios vendedores em embelezar as suas bancas para o evento. Foi extraordinário!

Mas também posso referir o Museu de História Natural, onde nos soubemos misturar muito bem com o museu e, uma vez mais, poucos achavam isso possível. Ou o Museu da Cidade… Nenhum lisboeta conhecia o museu até termos feito lá aquela edição da ModaLisboa.

Se tivesse de escolher um desfile, qual o mais badalado ou extraordinário?

Ao longo destes anos tivemos oportunidade de assistir a desfiles completamente inesperados, autênticos espetáculos de moda. Mas posso referir um nome que deixa muitas saudades: Ana Salazar, quanto mais não seja pelos 12 ou mais anos que trabalhou connosco. A abertura da primeira edição da ModaLisboa (em abril de 1991) ficou a cargo dela. Não há marco maior do que esse.

A ou o modelo que possamos dizer que já faz parte da história da ModaLisboa?

Há vários nomes possíveis, entre os quais o da Ana Isabel por exemplo, mas para destacar um só… Sofia Aparício, sem sombra de dúvida. Ela esteve presente no início, depois deixou de estar, mas de vez em quando volta a aparecer na ModaLisboa, ou seja, foi sempre acompanhando a evolução destes anos. Um modelo masculino, diria Paulo Pires, que também desfilou na ModaLisboa desde os primeiros tempos e a partir daí nunca falhou, quer seja como convidado ou participando nas nossas campanhas.

Uma grande estrela internacional que tenha passado pela ModaLisboa?

Tirando John Galliano que esteve para vir e não veio, algo que nos trouxe, na altura, alguns problemas, existiram algumas presenças, mas depois daquele episódio decidimos que não íamos trabalhar com mais estrelas. Mas posso referir diversos nomes que marcaram presença ao longo dos anos na ModaLisboa. Um deles foi Jane Birkin que atuou na festa de encerramento da 22.ª edição da ModaLisboa, em 2004, no Hotel Ritz. Entretanto, já passaram por cá Jean Paul Gaultier, Diane Von Furstenberg, Tommy Hilfigger, Christian Louboutin, Mario Testino ou Joaquin Cortés.

Os desfiles desta edição da ModaLisboa começam amanhã e são várias as novidades este ano. Para saber tudo siga o nosso roteiro!

Partilhar
Ver comentários
A Máxima recomenda
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!