Especiais

Acessórios: marcas portuguesas no radar da Máxima

O futuro da indústria desenha-se aqui e agora.
Por Carlota Morais Pires, 06.09.2017
A crise mudou a forma como compramos e olhamos a moda – queremos investir em objetos que resistam com elegância ao ar do tempo e limitar-nos aos essenciais. Eliminamos o excesso, não deixamos que as tendências nos atropelem e damos mais atenção e importância à qualidade dos materiais e dos detalhes que, afinal, são tudo.

Os especialistas falam em smart buying e há uma nova geração de criadores nacionais a abraçar o conceito. Da joalharia de autor aos acessórios em pele, a produção tem Portugal como ponto de partida, mas mostra força e vontade de chegar ao outro lado do mundo.

 

Acessórios

The Ugly Ones

Com formas geométricas, linhas depuradas, cores neutras e influências minimalistas, a The Ugly Ones surge em 2015 pela mão do designer João Landolt e da modelo Margarita Pugovka. A dupla uniu-se para criar uma marca de acessórios em pele com uma qualidade e corte irrepreensíveis, procurando encaixar num universo estético onde não cabe a excentricidade ou a volatilidade das tendências – são objetos para investir agora e guardar para sempre.

Conhecemos a The Ugly Ones quando se estreou com uma primeira coleção de mochilas para homem (que também quisemos usar), mas a marca já tinha vontade de criar peças para o guarda-roupa feminino. Agora, lançam a primeira bucket bag e reinventam uma carteira clássica com modernidade já na coleção para este inverno.  

Para já, podemos descobrir as peças da marca no site de compras Farfetch.com e no espaço Wrong Weather, no Porto.

 

Darkside

A marca de eyewear foi fundada por Carolina Castro em 2015, altura em que lançou os primeiros óculos de sol. Em acetato italiano, a coleção da Darkside dá prioridade à qualidade dos materiais e ao aperfeiçoamento dos acabamentos, num complexo processo de produção que acontece em Portugal desde o primeiro momento. "Quando desenhei a primeira coleção queria criar modelos intemporais, que durassem anos e passassem gerações", disse a designer em entrevista à Máxima.

Se os materiais antecipam o futuro (não só nas lentes mas também nas armações), também o design tem um ponto de vista, uma coerência que não deixa de ser interessante numa marca tão recente. Entre as inspirações encontramos referências claras às décadas de 80 e 90, mas há em cada objeto um sopro de novidade e uma nova abordagem estética completamente diferente de tudo o que vemos agora.


Freakloset   

Joana Lemos só quis lançar o site da Freakloset quando sentiu que todos os pormenores estavam alinhados com a ideia que foi traçando e criando na sua cabeça, apoiada sempre por pilares sólidos que sabia serem essenciais: queria que a página online recriasse os modelos dos sapatos em três dimensões para que soubéssemos exatamente como seriam quando os recebêssemos em casa e os calçássemos pela primeira vez. Queria que pudéssemos personalizá-los à medida da nossa imaginação, sem impor limite à vontade e criatividade e deu-nos um mundo de cores e formas, num convite explícito à experimentação.

O que a designer não podia prever é que a marca que lançou é um daqueles raros casos em que a realidade supera as expectativas. Os sites de compras só alimentam os olhos e os sapatos da Freakloset conseguem despertar outros sentidos – quem nunca se deixou influenciar pelo toque da pele e o cheiro de um par de sapatos a estrear?

 

Joalharia de Autor

Carolina Curado

Não sabemos onde começa o processo criativo que serve de ponto de partida para a criação das coleções de joalharia de Carolina Curado. As inspirações e influências cruzam-se para criar novas formas e levam-nos para um mundo de fantasia e imaginação, a anos-luz de distância daqui. As peças reclamam referências a elementos da natureza, como as flores, folhas e insetos, mas também exploram uma estética barroca. São pura extravagância e opulência em ouro trabalhado.

 

Vanglória

As peças são geométricas, mas nunca caem no minimalismo absoluto – todas as coleções assinadas por Vanessa Pires orbitam à volta de um conceito muito específico, que pode nascer a partir de qualquer lugar ou ideia. A criadora diz que quer explorar formas e emoções e que até a Matemática, a Física e os símbolos da Química inspiram – tudo pode surgir a partir de uma fórmula. As ideias são fora da caixa e as joias, quase futuristas, são verdadeiros objetos de moda.

 

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
A Máxima recomenda
Nostalgia: Sophia Loren em 50 imagens

Especiais

Nostalgia: Sophia Loren em 50 imagens

Foi uma das mulheres mais bonitas e com mais sex appeal do seu tempo e hoje é, muito provavelmente, a maior lenda viva do cinema. No dia em que faz 83 anos, recordamos as suas fotografias mais marcantes.
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!