Notícias

A marca desconhecida que quer competir com as grandes cadeias de moda

Chama-se Modern Citizen e é a nova marca de roupa que quer fazer frente aos gigantes da indústria.
Por Ângela Mata, 12.07.2017

Modern Citizen é uma marca de peças básicas, inspiradas nas maiores tendências atuais e a preço acessível. Por outras palavras, tem o equilíbrio certo entre tendências e design, todos os ingredientes necessários para fazer chegar as suas coleções ao mundo e, quem sabe, fazer frente a marcas como a H&M e a Zara.

Jessica Lee é a jovem de 31 anos que está por detrás desta nova marca de roupa, cujo objetivo é claro: lutar pela qualidade das peças e contra o ritmo frenético das grandes cadeias de moda. Impulsionada pela sua anterior experiência na GAP, Jessica Lee conseguiu, com a ajuda de familiares e amigos, juntar 250 mil dólares para criar o seu próprio negócio.

A aventura empresarial começou digitalmente em 2014 e, neste momento, já conta com a sua primeira loja física em São Francisco (Estados Unidos). O preço médio das suas criações ronda os 65 euros e inclui vestidos lisos de cortes e comprimentos diferentes, tops intemporais, calças e saias perfeitas para o dia a dia. A marca conta ainda com uma linha de acessórios, produtos de beleza e decoração.

Outra das características que distingue a marca é o facto de assumir que toda a produção é made in China. Ao contrário das etiquetas que tentam esconder a origem de fabrico das suas coleções, a Modern Citizen faz questão de a deixar bem clara, salientando que as peças são produzidas em Hong Kong, em fábricas devidamente regulamentadas. Isto porque a família da própria fundadora tem origens asiáticas. "Nunca entendi a ideia da má qualidade associada à China, provavelmente devido à minha herança, mas penso que se trata de um mito cultural, uma perceção que espero que mude. O país tem fabricado roupa para todo o mundo nos últimos 100 anos", defendeu Jessica Lee à publicação Racked.

Emma Watson é um dos ícones que inspira a marca, cujo target são mulheres jovens entre os 20 e os 30 e muitos anos. Ao site Business of Fashion, Jessica Lee referiu ainda que "a Zara oferece um produto incrível, mas que não é emocional. É muito utilitário". E por isso o seu objetivo é criar uma comunidade que partilhe dos mesmos gostos e valores que a Modern Citizen, sem aquela sensação de que meio mundo está a vestir exatamente a mesma peça.

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!