Tendências

10 tendências de moda para 2018

O que vamos querer vestir no próximo ano? Fomos investigar o que os designers trouxeram à passerelle para anteciparmos as maiores (e melhores) tendências que ainda vêm aí.
Por Carlota Morais Pires, 27.12.2017

Brincos: mais é mais

Nas duas estações passadas os brincos quiseram aumentar de tamanho e vimos argolas discretas cair no exagero dos videoclips das Destiny Child ou de uma Jennifer Lopez nos finais dos anos 90. Em 2018, a discrição aborreceu a moda e teve de ser substituída pela exuberância, pela excentricidade e pela ostentação. Na próxima primavera (e provavelmente no próximo inverno), queremos que os brincos experimentem novos materiais, que sejam demasiado grandes e até estranhos (podem ter cometas, aliens e qualquer elemento de um filme de ficção científica) – ou, pelo menos, diferentes de tudo o que já vimos até agora.



Bolsas à cintura! 

É tempo de esquecer a clutch ou as carteiras demasiado grandes, com espaço para guardar tudo o que nunca vamos precisar numa saída à noite. As bolsas de cintura estão de volta: com lantejoulas têm mais glamour, mas também surgem em pele, verga, tela e nylon. Coordenam-se com vestidos de princesa ou camisolas de malha e jeans, como vimos na passerelle da Gucci e da ultrafeminina coleção de Zimmerman, ou em Marc Jacobs, numa versão mais desportiva mas nunca menos apetecível.       



Do ginásio para a rua

Licra fluorescente, fatos de treino em cetim, meias brancas e fitas elásticas à volta da cabeça, como se estivéssemos num torneio de ténis. Tudo isto faz parte do cardápio de tendências para o próximo ano, como se a moda se fosse inspirar ao lado mais kitsh do desporto. Bem, provavelmente foi mesmo ? o que vimos nas apresentações da Gucci, Vetements, Balenciaga e Louis Vuitton para a primavera foi tudo o que prometemos nunca usar mas que, passados 20 anos, volta pelas mãos (ou Instagram) de Lotta Volkova (a stylist da Balenciaga). De repente, faz todo o sentido: é a Rússia dos anos 90 a devorar a moda – já sabíamos que ia acontecer, agora temos a certeza de que o fenómeno ganha novas proporções em 2018.



Trench coat reinventado 

Em 2018, o trench coat, um dos maiores clássicos do guarda-roupa, vai sofrer uma transformação. Reinventa-se ao experimentar novos materiais (como o PVC) e outras silhuetas e a cortar a tradição com texturas, padrões, cores e combinações inesperadas.



Cores ácidas

A próxima primavera vive um corrupio visual de cores fortes, do amarelo-sol ao encarnado mais quente e ao verde, cor de laranja e cor-de-rosa. Podemos misturar tonalidades com leveza porque quanto mais criativos conseguirmos ser, melhor, e todas as combinações são válidas e possíveis.



Plástico!

Raf Simons trouxe o vinil à passerelle da Calvin Klein e a indústria da moda não só aplaudiu como decidiu seguir-lhe as pegadas (ou seja, copiar a ideia e adaptá-la ao conceito de uma coleção). Na primavera de 2018, vamos ver casacos transparentes em PVC, chapéus e botas para a chuva à la Chanel e uma plastificação geral do guarda-roupa que, a partir de agora, já é à prova de água.



A saia-lápis 

Continuam femininas, a lembrar os anos 50 e as mulheres que as vestem com power e um batom encarnado. Ainda assim, em 2018 a saia-lápis pisa outros terrenos, surge em materiais surpreendentes como o plástico ou a lã, coordena-se com peças menos formais do que o aborrecido cliché da camisa branca. Imagine uma saia coleante em pele de cobra cor-de-rosa e padrão felino, combinada com sabrinas de veludo amarelas, meias pretas e uma camisa-casaco lilás, com flores bordadas dos bolsos – é esta a antecipação certa do look para a próxima primavera, cortesia da Bottega Veneta.   



Franjas 

Não importa se são inspiradas no guarda-roupa de um western, em cabedal ou camurça, ou se vêm recuperar a flapper e os anos 20 em materiais tão suaves como o cetim, a seda e as plumas. Além de se aventurarem em diferentes texturas e materiais, as franjas também ganham novas cores esta estação e, se olharmos para fora do guarda-roupa, vemos que preenchem acessórios tão inesperados como sapatos, carteiras, brincos e colares.



Tartan 

Algures entre a tradição clássica e o fetiche, o uniforme escolar nunca foi uma tendência capaz de gerar consensos – ou o adoramos ou odiamos. Em 2018, é a Burberry que o recupera (desta vez com uma ponta de provocação e menos pudor) e, por isso, somos capazes de pensar duas vezes se ainda estamos mergulhados no lado do contra. Mais um argumento a favor? A Vetements e a Balenciaga trouxeram o padrão à passerelle e coordenaram-no com outros que pareciam não fazer sentido mas, afinal, trouxeram novidade e ar fresco à nova estação. Flores para a primavera? Em 2018, queremos quadradinhos, por favor!  



A ganga mais escura 

Recuemos dez anos, como em quase todas as tendências desta estação. Com 2018 volta a viragem do milénio e volta a ser cool vestir ganga dos pés à cabeça, desde que a lavagem seja a mais escura – menos Britney e Justin Timberlake nos MTV Music Awards, mais Tom Ford, Versus Versace, Marques’Almeida e Nina Ricci para esta primavera. 

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!