Fotogalerias

Os maiores mitos em volta de Marilyn Monroe

Por Máxima, 05.08.2017
Marilyn ter-se-á relacionado intimamente com John F. Kenndy na casa de Frank Sinatra
Marilyn acharia que John F. Kennedy era mau na cama. Quem o disse foi Keith Badman no livro que escreveu intitulado ‘The Final Years of Marilyn Monroe: The Shocking True Story’.
Marilyn poderá ter telefonado a Jackie Kennedy para falar sobre o affair que mantinha com Kennedy, explicando que este a iria deixar para ficar com ela. A ideia é defendida por Christopher Andersen no livro These Few Precious Days: The Final Year of Jack with Jackie. Aparentemente, Jackie terá respondido: “Marilyn, vais casar com ele, que bom… E vais mudar-te para a Casa Branca e irás assumir todas as responsabilidades de uma primeira-dama, e eu ir-me-ei embora e tu ficarás com todos os problemas.”
Marilyn terá sido assassinada pela Máfia. Muitos acreditam que Bobby Kennedy terá encomendado o ‘serviço’ a membros da Máfia, por ela saber demais.
Marilyn participou num vídeo de sexo. O colecionador de arte Keya Morgan garante que tem uma cassete de vídeo com cenas de sexo entre Marilyn e JFK.
Marilyn e um ménage à trois com JFK e Robert F. Kennedy? Quem o diz é William Castleberry que garante ter em seu poder um vídeo com essas mesmas imagens gravadas.
Diz-se que Marilyn fez uma cirurgia plástica ao nariz. Muitos falam numa rinoplastia.
Marilyn fez implantes mamários?
Marilyn terá corrigido os dentes com um aparelho. Há quem diga que o namorado Fred Karger a terá levado a um especialista para corrigir a dentição.
Marilyn usava dentes falsos. Foi em 2015 que o rumor surgiu, quando supostamente se descobriu que esse facto era mencionado no registo da sua autópsia.
Muitos acham que Marilyn foi assassinada pela CIA. Alguns defendem que a determinada altura JFK terá contado a Marilyn que o governo norte-americano tinha descoberto aliens e, por essa razão, ela teria sido assassinada para evitar que tornasse pública essa informação.
Marilyn manteria uma relação com Bobby Kennedy. O rumor de que Marilyn andava com os dois irmãos Kennedy começou a circular nos anos 60.
Bobby Kennedy iria deixar a mulher e os filhos para ficar com Marilyn.
A irmã de Robert F. Kennedy, Jean Kennedy Smith, apoiaria o romance deste com Marilyn e tê-lo-á escrito numa carta.
Marilyn conheceria todos os segredos da família Kennedy. Há quem diga que a atriz os escrevia em jeito de crónica num caderno vermelho.
Marilyn terá continuado o seu relacionamento com Joe DiMaggio mesmo depois de os dois se terem divorciado. Depois da separação ambos foram vistos várias vezes juntos.
Marilyn teria um QI de 168. Muitos achavam que era incrivelmente inteligente.
Marilyn terá estado grávida do coprotagonista Yves Montand, na altura em que estava casada com o escritor Arthur Miller.
Marilyn estaria envolvida com comunistas. Aparentemente, o FBI terá descoberto documentação que comprova esse facto.
Marilyn terá tentado suicidar-se em 1950, pouco depois do grande amigo Johnny Hyde – o famoso agente de Hollywood – ter morrido de ataque de coração.
Um dos hábitos de Marilyn seria ler livros e manuais como forma de melhorar a sua performance sexual
Supostamente, Marilyn não queria ter sexo com o primeiro marido, Jim Dougherty, e trancava-se na casa de banho.
A identidade sexual de Marilyn seria uma mentira. Quem o disse foi Jean Negulesco, realizador do filme How to Marry a Millionaire: “Toda a sua existência foi uma constante procura de identidade e a sua identidade sexual era uma mentira completa.”
Marilyn terá confessado que nunca teve um orgasmo. Quem o afirmou foi também o realizador Jean Negulesco, que garante ter sido a própria a confirmá-lo numa conversa entre ambos.
Marilyn teria um fraquinho pelas atrizes Betty Grable, Judy Garland e Elizabeth Taylor.
Marilyn teria um fraquinho pelas atrizes Betty Grable, Judy Garland e Elizabeth Taylor.
Marilyn manteve uma relação com Natasha Lytess (que a ajudou a lançar a sua carreira e mudou-se para sua casa nos anos 50), Joan Crawford e Marlene Dietrich. Consta que o próprio ex-marido Joe DiMaggio dizia que o casamento de ambos não deu certo pelo facto de Marilyn gostar de mulheres.
Existirá uma cassete com as confissões de Marilyn ao seu psiquiatra Ralph Greenson.
Marilyn tinha medo de engravidar por causa dos seus traumas de infância.
Há quem acredite que o primeiro casamento de Marilyn com James Dougherty foi de conveniência. Terá servido para evitar que fosse obrigada a regressar ao orfanato.
Marilyn referir-se-ia a ela própria falando sempre na terceira pessoa, como ‘Marilyn Monroe’
Muitos achavam que a estrela era da família do antigo Presidente dos Estados Unidos, James Monroe.
Existe também o rumor de que foi a sua empregada que a matou. Quando a polícia chegou a casa de Marilyn, diz-se que Eunice Murray estaria a limpar (eventualmente para apagar provas de um crime).
Marilyn terá sido a primeira escolha para protagonista do filme Breakfast at Tiffany’s. Consta que o realizador Blake Edwards a queria muito para o papel, mas ela acabou por não aceitar, porque um amigo a desaconselhou.
Há quem defenda que na altura em que Marilyn morreu, a atriz não estaria desequilibrada a ponto de cometer suicídio. John Miner, um oficial de justiça, terá dito: “Não é possível que esta mulher se tenha suicidado. Ela tinha planos específicos para o futuro. Ela sabia exatamente aquilo que queria fazer.”
Marilyn ter-se-á relacionado intimamente com John F. Kenndy na casa de Frank Sinatra
Os maiores mitos em volta de Marilyn Monroe
Ver comentários
Últimas Fotogalerias

Comentários

0 Comentários
As mais vistas

Notícias Máxima por Categorias