Fotogalerias

Os hotéis mais assombrados do mundo

Por Máxima, 31.10.2017
Dalhousie Castle (Escócia) | Foi construído no século XIII e consta que o fantasma de Sir Alexander Ramsay, conhecido pela sua bravura em várias batalhas, costuma passear-se por ali. Em 1342, terá sido ali que morreu à fome, depois de capturado e preso nas catacumbas do castelo por William Douglas (um nobre que invejava as conquistas de Ramsay).
The Stanley Hotel (Colorado) | É conhecido como o hotel mais assombrado em toda a América e serviu de inspiração para The Shinning, de Stephen King. Muitos hóspedes se queixam de sentirem atividade paranormal no local. Desde portas que se fecham sozinhas a pianos que tocam sem ninguém lá estar.
The Pfister Hotel (Milwaukee) | Construído em 1893, este hotel tem hospedado, nos últimos anos, equipas de basebal e basquetebol. Vários jogadores já reportaram estranhos acontecimentos, como alguém a bater à porta, sem que ninguém lá estivesse, ou iPods que começaram a vibrar violentamente a meio da noite.
Toftaholm Herrgard (Suécia) | Este hotel de cinco estrelas fica no meio do lago Vidöstern, em Lagan, mas chegou a ser uma propriedade privada. Consta que o vulto de um homem jovem costuma aparecer muitas vezes por ali. Provavelmente, será o de um jovem que se apaixonou pela filha do dono da casa e que se matou no local onde agora é o quarto 324, depois de o seu pedido de casamento ter sido recusado.
The Russell Hotel (Sidney) | Diz-se que neste hotel há um marinheiro que nunca fez o check out do quarto número 8. São muitos os hóspedes que, hoje em dia, se queixam de vislumbrar uma figura parecida com um marinheiro e de ouvir passos no corredor perto nessa zona do hotel.
The Langham Hotel (Londres) | Este hotel londrino estará assombrado por diferentes fantasmas: um médico que outrora ali assassinou a mulher; um homem desconhecido com uma ferida profunda no rosto; um mordomo; e Napoleão III.
The Hotel Roosevelt (Los Angeles) | Foi aqui que teve lugar a primeira cerimónia dos Óscares. O hotel é hoje assombrado pelos fantasmas de Marilyn Monroe e de Montgomery Clift. Há mesmo um recanto específico na sala de baile do hotel que, inexplicavelmente, se encontra sempre frio, talvez por culpa das energias paranormais.
The Hay-Adams Hotel (Washington D.C.) | Clover Adams, mulher do antigo Presidente dos Estados Unidos John Adams, acabou com a própria vida neste hotel, em 1885. Consta que o seu fantasma ali permanece, sobretudo no quarto andar do hotel. Há rádios que se ligam sozinhos e portas que se abrem sem que ninguém lhes tenha tocado.
Taj Mahal Palace (Mumbai) | É um dos hotéis mais belos de Mumbai, mas também um dos mais assombrados na Índia. Consta que o arquiteto do edifício, desesperado com o facto de a fachada do hotel ter sido construída virada para o lado errado, se suicidou, atirando-se do quinto andar. O seu espírito permanece por ali.
Ross Castle (Irlanda) | Fica nas margens de um lago em County Meath, este castelo do século XV que é agora um Bed&Breakfast. Diz-se que é muitas vezes assombrado por um Lord inglês, conhecido como Black Baron (nome que lhe foi atribuído tendo em conta os seus atos maléficos), e pela sua filha, que em tempos ali viveram.
Queen Mary Hotel (Long Beach) | O famoso barco, agora transformado em hotel, é assombrado por uma mulher vestida de branco (até agora sem identidade definida), por um marinheiro que morreu num dos quartos e por duas crianças que morreram afogadas na piscina do barco.
Queen Anne Hotel (São Francico) | O edifício deste hotel foi em tempos uma escola de raparigas, cuja diretora, Miss Mary Lake, morreu poucos anos depois da escola ter sido inaugurada. O seu fantasma costuma aparecer no quarto 401, onde tem por hábito tapar os hóspedes com mantas e retirar objetos das suas bagagens.
Omni Parker House (Boston) | Este é um hotel histórico situado na Baixa de Boston, que tem sido assombrado sobretudo por Harvey Parker (o responsável pela construção do edifício). Charles Dickens também chegou a viver uns tempos no terceiro andar do hotel e há quem diga que a sua presença ainda se faz sentir: os elevadores são muitas vezes enviados para o terceiro andar sem razão aparente.
Logan Inn (New Hope) | O hotel da Pensilvânia é um dos lugares mais assombrados da América. Pelo menos oito fantasmas são ali residentes, diz-se. A maioria das atividades paranormais sentidas no local têm lugar no quarto 6, onde vários hóspedes já viram uma figura sombria aparecer por detrás deles no espelho da casa de banho.
Hotel Sorrento (Seattle) | Consta que aqui paira o fantasma de Alice B. Toklas, outrora responsável pela confeção de uns brownies feitos de marijuana e vendidos naquela zona. O seu fantasma costuma ser avistado no quarto andar do hotel ou no bar.
Hotel del Coronado (Coronado) | O luxuoso hotel, na costa de San Diego, é conhecido pela extraordinária vista sobre o mar. E por ser assombrado pelo fantasma de uma mulher chamada Kate Morgan. Em 1892, nas vésperas de Natal, a jovem de 24 anos esperou pelo seu amado num dos quartos do terceiro andar. Depois de cinco longos dias, decidiu acabar com a própria vida.
Flamingo Hotel (Las Vegas) | É o resort mais antigo de Las Vegas, criado por Mobster Bugsy Siegel, assassinado pouco depois da inauguração. Diz-se que gastava mais do que podia até que os investidores começaram a reparar. Há relatos de que o seu espírito continua a aparecer no jardim onde morreu.
Fairmont Banff Springs Hotel (Alberta) | O luxuoso hotel do Canadá foi construído em 1888 e chegou a receber hóspedes célebres como Marilyn Monroe, Helen Keller e a rainha Isabel II. Consta que uma família que ficou hospedada no quarto 873 foi ali assassinada e os seus fantasmas permanecem a assombrar quem ali se instala. As empregadas de limpeza costumam queixar-se muitas vezes de encontrar marcas de dedos ensanguentados nos espelhos.
Emily Morgan Hotel (San Antonio) | Este hotel foi, durante muitos anos, uma espécie de hospital, com uma ala psiquiátrica e uma mesquita. Há vários relatos por parte de hóspedes de sons estranhos, aparições e sensações de estarem a ser tocados.
Dauphine Orleans Hotel (Nova Orleães) | Neste hotel costumam ver-se fantasmas de soldados da Guerra Civil e cortesãs que ali trabalharam, quando aquele era conhecido como o Bairro da Luz Vermelha.
Cal-Neva (Lake Tahoe) | Em 1960, o espaço foi comprado por Frank Sinatra, que construiu túneis que faziam a ligação entre os bungalows e a sala principal da casa. Os túneis serviam para que celebridades pudessem passar sem que fossem vistas pelos paparazzi. Dean Martin e Marilyn Monroe chegaram a passar ali férias. Consta que os fantasmas de Sinatra e Monroe foram várias vezes vistos junto à piscina do hotel.
Biltmore Hotel (Coral Gables) | O hotel encontra-se a apenas dez minutos do centro de Miami. Teve a sua inauguração em 1926 e durante a II Guerra Mundial foi transformado em hospital. Existem, por essa razão, muitos fantasmas de veteranos de guerra.
Algonquin Hotel (Nova Iorque) | Este hotel foi muitas vezes visitado por Dorothy Parker, membro de um grupo literário conhecido por Round Table. Recentemente, quando foram feitas obras de renovação no sótão do hotel, foram ouvidos barulhos estranhos e uma fotografia de Parker terá voado de repente da parede, sem que ninguém lhe tivesse tocado.
Dalhousie Castle (Escócia) | Foi construído no século XIII e consta que o fantasma de Sir Alexander Ramsay, conhecido pela sua bravura em várias batalhas, costuma passear-se por ali. Em 1342, terá sido ali que morreu à fome, depois de capturado e preso nas catacumbas do castelo por William Douglas (um nobre que invejava as conquistas de Ramsay).
Os hotéis mais assombrados do mundo
Ver comentários
Últimas Fotogalerias

Comentários

0 Comentários
As mais vistas

Notícias Máxima por Categorias