Fotogalerias

As mulheres por detrás de grandes invenções

Por Máxima, 14.09.2017
As mulheres por detrás de grandes invenções
Katherine Johnson: O caminho para chegar à Lua | A história de Johnson foi recentemente contada no filme Hidden Figures (2017). A sua inteligência acima da média fez com que a chamassem frequentemente de ‘computador’. A ela se deve a descoberta do caminho certo para que a Freedom 7 conseguisse entrar no espaço pela primeira vez em 1961 e posteriormente fez com que a missão da Apollo 11 fosse bem-sucedida a aterrar na Lua (1969). No entanto, ela sofreu muito com a discriminação racial, até por parte dos colegas homens.
As programadoras do ENIAC: Primeiro Computador Eletrónico | O ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer) foi o primeiro computador de sempre a ser criado. Em 1946, seis mulheres programaram este computador, algo que fez parte de um projeto secreto da II Guerra Mundial. Ainda assim, o inventor John Mauchly é o único nome associado a esta invenção.
Margaret Knight: Sacos de papel quadrados | Em 1868, Knight criou uma máquina capaz de fazer sacos de papel quadrados. Ela construiu um modelo da máquina em madeira, mas na altura não conseguiu comprar a patente até desenvolver o mesmo modelo em ferro. Enquanto ela tentava essa evolução, Charles Annan roubou-lhe a ideia e conseguiu a patente. Knight colocou-o em tribunal e ganhou o processo judicial em 1871.
Chien-Shiung Wu: Física Nuclear | Wu trabalhou no Projeto Manhattan, no qual desenvolveu o processo de separação do urânio. Em 1956, liderou uma experiência focada nas interações eletromagnéticas. Depois dos resultados surpreendentes, Tsung-Dao Lee e Chen-Ning Yang, dois físicos que criaram uma teoria semelhante, ficaram com os créditos dela, ao ganharem o Prémio Nobel em 1957.
Rosalind Franklin: Estrutura da molécula do ADN | As radiografias feitas por Franklin ao ADN revelaram a verdadeira estrutura por detrás da molécula. No entanto, a teoria foi reclamada por James Watson e Francis Crick. Ambos acabaram por ganhar um Prémio Nobel.
Nettie Stevens: Cromossomas sexuais | Stevens descobriu a ligação entre os cromossomas e a determinação do sexo. No entanto, foi o seu colega e mentor E.B. Wilson quem publicou em primeira mão a descoberta.
Mary Anderson: Para-brisas | A ideia original surgiu de Anderson, durante uma viagem de carro na neve. Ela tentou vender o objeto a várias empresas depois de obter a patente em 1903, mas todas rejeitaram a invenção. Mas nos anos 50, com o surgimento de carros mais rápidos, as empresas foram buscar-lhe a ideia. Como nessa altura ela já tinha perdido a patente, foi atribuída a Robert Kearns a invenção.
Lise Meitner: Fissura Nuclear | Foi ela a responsável pela descoberta do verdadeiro poder do urânio. Percebeu que este se desintegra perante algumas reações. A descoberta foi, no entanto, atribuída ao seu parceiro de laboratório Otto Hahn, que ganhou o Prémio Nobel da Química em 1944.
Esther Lederberg: Genética Microbiológica | Lederberg passou grande parte das suas investigações a tentar descobrir como os genes se regulam, ao mesmo tempo que integrava o processo de transformar o DNA em RNA. Chegou a colaborar diversas vezes com o marido, Joshua Lederberg, que descobriu o lambda phage – um vírus que infeta a bactéria E. coli. Apesar de terem trabalhado em conjunto, foi o marido quem recebeu o Prémio Nobel da Fisiologia e Medicina em 1958.
Jocelyn Bell Burnell: Pulsar | Um pulsar é uma estrela de neutrões que formam uma espécie de ondas sonoras. Descoberto em meados de 1967 por Burnell, tem uma fonte de rádio que pisca numa frequência constante. Na altura, a cientista estudava em Cambridge e resolveu mostrar a sua descoberta a uma equipa que continuou com ela a investigação. No final, quem recebeu os créditos foi o seu tutor, Antony Hewish, e mais tarde Martin Ryle que recebeu o Prémio Nobel (1974).
Vera Rubin: Matéria negra | Vera foi a astrofísica que confirmou, em primeira mão, a existência de matéria negra na atmosfera. Ela trabalhava com o astrónomo Kent Ford, nos anos 60 e 70, e juntos descobriram a razão por detrás do movimento das estrelas fora da galáxia. Foi uma das maiores descobertas, no entanto, Rubin nunca recebeu qualquer Prémio Nobel.
Ada Lovelace: Algoritmo Computacional | Em meados de 1800, Ada escreveu aquilo que foram as primeiras instruções para um programa computacional. No entanto, o matemático e inventor Charles Babbage é geralmente associado a esta invenção, porque foi ele quem criou o programa em si.
Ada Harris: Alisador de cabelos | Marcel Grateau é o nome que mais vezes surge ligado a esta invenção do alisador de cabelos, no entanto, foi Harris quem primeiro reclamou a patente em 1893.
Elizabeth Magie Phillips: Monopólio | É um dos jogos mais famosos de sempre entre as famílias de todo o mundo e os créditos da sua invenção foram atribuídos a Charles Darrow. Darrow vendeu posteriormente a ideia à empresa Parker Brothers, em 1935. Na verdade, foi Elizabeth Magie Phillips quem teve a ideia original deste jogo, ao qual deu o nome de The Landlord’s Game, em 1903.
Caresse Crosby: Soutien | Foi Crosby quem teve a ideia dos soutiens modernos, numa época em que já estava farta de todas as mulheres terem de usar corpetes. A invenção foi patenteada por ela com o nome ‘Backless Brassiere’, mas mais tarde acabou por vendê-la à Warner Brothers Corset Company.
Grace Murray Hopper: Programa de linguística computacional | Hopper foi a responsável pela criação das primeiras ferramentas de linguística computacional para programar o Harvard Mark I – computador da IBM utilizado durante a II Guerra Mundial. Na história, os créditos foram dados a John von Neumann, mas foi a Hopper que coube a invenção dos códigos de programação. Uma das linguísticas computacionais ainda hoje usadas e que também a ela devemos chama-se COBOL.
As mulheres por detrás de grandes invenções
As mulheres por detrás de grandes invenções
Ver comentários
Últimas Fotogalerias

Comentários

0 Comentários
As mais vistas

Notícias Máxima por Categorias