Bem Estar

Afinal, o queijo pode fazer bem à saúde

Novo estudo indica que 40 gramas de queijo por dia poderão prevenir doenças cardiovasculares.
Por Marta Carvalho, 07.12.2017

Não é segredo que o queijo contém, à semelhança de outros produtos lácteos, altos níveis de gordura saturada, que por sua vez está ligada a problemas de colesterol, aterosclerose e um aumento do risco de doenças cardiovasculares. No entanto, segundo dois grupos de investigadores da China e da Holanda, que se juntaram para analisar as consequências do seu consumo a longo prazo, o queijo pode trazer benefícios para a saúde quando consumido em moderação.

Foram analisadas mais de 200 mil pessoas que participaram em 15 estudos observacionais, sendo que apenas uma das investigações excluía pessoas com problemas cardiovasculares. Segundo Allan Stewart, diretor de cirurgia na Ichan School of Medicine, as descobertas destes estudos "foram certamente diferentes daquilo que as pessoas poderiam esperar". Em geral, pessoas que consumiam queijo diariamente tinham menos 10% de probabilidade de ter ataques de coração e menos 14% de probabilidade de desenvolver doença coronária em comparação com aquelas que nunca comiam queijo.

No entanto, esta relação não é linear: as pessoas com menos risco de desenvolver essas doenças consumiam em média 40 gramas de queijo diariamente. "Não é a mesma coisa que comer uma fatia de pizza de queijo por dia", explica Allan Stewart. O especialista alertou também para o facto de que muita da informação dos estudos foi partilhada oralmente pelos indivíduos estudados e que muita gente tem tendência a exagerar quando fala sobre quantidades consumidas.

O que este estudo permite concluir é que as pessoas que consomem determinadas quantidades de queijo diariamente têm um menor risco de sofrer de doenças cardiovasculares, mas não há garantia de que seja graças ao consumo do queijo; estes indivíduos podem simplesmente ter um estilo de vida mais saudável em geral. Mas, por outro lado, o queijo pode mesmo ter certas propriedades que ajudem a prevenir essas doenças, como os probióticos e o ácido linoleico que aumenta os níveis do "bom colesterol" (HDL) e diminui os níveis do mau (LDL). "Existem algumas provas de que o queijo possa realmente ter um efeito protetor no coração. Isto não garante que 40 gramas de queijo por dia sejam o recomendado, mas de vez em quando não fará mal", remata o especialista.

 

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
1 Comentários
Vitor Estevao Ha diversos estudos que demonstram que o colesterol nao e o responsavel pelos ataques cardiacos, nem que existe essa coisa do bom e mau colesterol. apelidou-se mau colesterol ao colesterol que leva essa lipoproteina as celulas. tambem existem estudos que evidenciam que nao ha relacao estatistica entre problemas cardiacos e consumo de gordura saturada de boa qualidade. existe sim relacao com o consumo de polinsaturados e trans como os que se encontarm em alimentos processados, oleos e margarinas que sao os que causam inflamacao.
Alias estudos recentes demonstram o papel importantissimo do colesterol na reparacao das paredes das arterias. Os grandes problemas advem da calcificacao dessas arterias, sendo que o colesterol se agrega a essas calcificacoes no seu processo de reparacao. Mais, ha estudos que demonstram que 50% das pessoas que sofrem ataques cardiacos tinham colesterol normal.
https://www.docsopinion.com/2013/01/28/the-great-cholesterol-myth/
https://www.medicalnewstoday.com/ar
Há 1 semana
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!