Escolha

Back to Basics

Optar entre a eficácia e a sustentabilidade já não é uma questão. A cosmética continua a dar pequenos passos que podem fazer uma grande diferença no futuro do planeta. Saiba quais.
Por Máxima, 22.10.2014

A tecnologia positiva

A eterna disputa entre os prós e contras da evolução da tecnologia parece não terminar, mas saiba que a química verde não é incompatível com a tecnologia. E mesmo na área da cosmética, onde pequenas empresas começam a ganhar terreno na comercialização de produtos desenvolvidos de forma sustentável, também os grandes monopólios da indústria se lançam num território pouco explorado para proporcionar o melhor da cosmética, com um impacto ambiental mais reduzido. Para o conseguir desenvolvem-se novos ativos, retirados de ingredientes alimentares (açaí, goji, chá verde), de fontes marinhas (algas, óleos de peixes, minerais marinhos) e extraídos através de processos cada vez mais sustentáveis. A reprodução em laboratório de propriedades provenientes de ingredientes naturais protege espécies em vias de extinção, tendo também uma pegada ambiental mais pequena do que os que são recolhidos de modo tradicional.

 

Sabia que… A sua pele é altamente permeável e o que aplicar topicamente vai acabar na sua corrente sanguínea e será distribuído por todo o corpo. A importância da cosmética biológica advém da sua composição natural e rica e da transparência e segurança das matérias-primas utilizadas.

Biológico, orgânico, verde, vegan, natural, sustentável…

Com todos os nomes que invocam a natureza nas prateleiras das perfumarias, é natural que haja alguma confusão. Como distinguir os verdadeiros naturais dos “pseudogânicos”? E, afinal, o que é que distingue o orgânico do químico? A verdade é que, apesar da crescente oferta de informação, as dúvidas ainda são muitas quando falamos de produtos biológicos. Na cosmética, tal como na alimentação, dividimo-nos entre os ingredientes naturais, os certificados de entidades reguladoras e os métodos de produção sustentáveis. Mas para nos podermos render ao poder do “verde” sem dúvidas, temos antes de compreender do que se trata e o que estamos a aplicar na pele quando compramos produtos naturais. A cosmética biológica, segundo os padrões internacionalmente reconhecidos, é elaborada com base em ingredientes biológicos cultivados sem pesticidas e herbicidas, de onde são retirados os extratos mais puros para integrar em produtos produzidos da forma mais natural possível e com o menor impacto ambiental. Para que tal aconteça, as marcas não devem recorrer a ingredientes geneticamente modificados, a fragrâncias, conservantes e corantes sintéticos, ou a aditivos químicos prejudiciais à saúde e ao meio ambiente.

 

Tome nota…

Cimeira dos cosméticos sustentáveis

Se este tema é do seu interesse, esteja atenta à Cimeira de Cosmética Sustentável, a decorrer em São Paulo (10 e 11 de setembro), Hong Kong (10 e 11 de novembro) e Paris (24 a 26 de novembro). Nas várias edições, são discutidos os passos práticos que as marcas de cosmética e empresas produtoras de ingredientes podem dar para reduzir o seu impacto ambiental, continuando a inovar com ingredientes naturais.
 www.sustainablecosmeticssummit.com  

Quanto à distinção entre o que é biológico e orgânico, podem ser considerados sinónimos. O adjetivo “natural”, por outro lado, é comummente utilizado para se referir a ingredientes provenientes da natureza, o que não quer necessariamente dizer que os mesmos sejam biológicos. Daí a importância das agências reguladoras destes ingredientes e produtos.

 

Quem regula e como?

Os valores são os mesmos, os padrões podem variar consoante entidades reguladoras. O carimbo do Ecocert, por exemplo, depende da origem de fontes renováveis e do fabrico através de processos ambientalmente amigáveis, incluindo a natureza das embalagens (biodegradáveis ou recicláveis). Um mínimo de 95% de ingredientes de origem natural e de 10% de cultura orgânica são exigidos para ser atribuído o selo de cosmético natural e orgânico, enquanto para receber o selo de cosmético natural são necessários 50% de ingredientes baseados em plantas e outros 5% de cultura orgânica.

 

 Leitura obrigatória 

"Sustainability: How the Cosmetics Industry is Greening Up", Wiley & Sons

Outras maneiras de ajudar o planeta

- Parcerias sustentáveis

Segundo a definição da ONU, sustentabilidade é a forma de desenvolvimento que não compromete as necessidades das gerações futuras. Trata-se de um princípio que permite utilizar os recursos naturais da maneira mais sustentável possível, de modo a preservar o meio ambiente; muitas marcas de cosmética adotam métodos de produção que garantem a preservação do planeta. A aquisição de matérias-primas de origem certificada, o uso de embalagens recicláveis e o controlo da emissão de poluentes são algumas das políticas dessas empresas.

 

- Cruelty Free

Rituais lusos 

Inspirado em lendas portuguesas, o Ritz Spa combina a amêndoa com a doçura do mel nacional e rosas para uma suave esfoliação, que deixará a sua pele macia e resplandecente. Segue-se uma relaxante massagem de corpo completa com o inebriante aroma de rosa. (90 minutos, €215) www.fourseasons.com/lisbon

Testar produtos em animais é uma prática cada vez mais condenável internacionalmente. Algumas empresas já adotaram a posição Cruelty Free,

utilizando tecnologias alternativas e métodos mais eficazes para testar os produtos, que não deixam de ser socialmente conscientes.

Preparado por 20 peritos da indústria cosmética e pelo presidente da Organic Monitor, este guia discute o impacto ambiental e social dos cosméticos e a necessidade de aumentar a eficácia dos recursos em direção ao desenvolvimento sustentável.

 

Go green!

Até as maiores estrelas de Hollywood abandonam (algumas) benesses do estrelato para se renderem a um estilo de vida mais simples.

 

- Gisele Bundchen A modelo mais bem paga do mundo é também uma ávida defensora das questões ambientais, tendo até lançado um blogue “verde” em 2008 para consciencializar o Brasil para a importância de práticas mais ecológicas


- Leonardo DiCaprio Ativista assumido, o ator preocupa-se particularmente com questões da preservação da vida selvagem, acesso a água potável e mudanças climáticas. Criou a Fundação Leonardo DiCaprio em 1998 que tem direcionado esforços para causas ambientais e humanitárias. leonardodicaprio.or

 - Cate Blanchett Um dos mais importantes papéis da vida desta atriz é o de mãe ecológica. Além de apoiar o projeto australiano Who On Earth Cares, equipou a casa com tecnologia amiga do ambiente


 - Brad Pitt Líder do projeto Global Green USA da Holy Cross, o ator não tem poupado esforços para um redesenvolvimento sustentável após a devastação do furacão Katrina. www.holycrossproject.globalgreen.or

 

 - Mirranda Kerr Criou a Kora Organics, uma marca de produtos de beleza com certificados da Ecocert, Certified Organic Australia, e da Cruelty Free and Vegan. www.koraorganics.com

Partilhar
Ver comentários
A Máxima recomenda
Vídeos recomendados
Outras notícias Cofina
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!